17 11 2017

Mini jardim de suculentas e algumas notícias

Mini jardim de suculentas

Vim dar notícias, finalmente – depois do último post parece que muita gente ficou preocupada comigo, e juro que essa não era a intenção. Como disse, convivo com a ansiedade desde criança, e estava muito ansiosa pelo Enem e prova de direção para tirar a CNH. Resultado? Enem passou e nem era um motivo tão grande pra ansiedade, já que já estou em um curso que está me deixando feliz, e tomei pau no exame pra CNH – estava tão nervosa que mal conseguia mexer os braços, os examinadores mal humorados me fizeram chorar antes mesmo de entrar no carro… Foi meio desesperador na hora e estou com um torcicolo a 5 dias por causa da tensão, mas tudo vai ficar bem… A gente tenta de novo quantas vezes for preciso, né? Um pouco de desafio faz bem. Aproveito pra agradecer os comentários e mensagens maravilhosas que recebi… Vocês ajudaram muito!

Fora isso, tem o final de semestre na faculdade – nem acredito que em 2 semanas e meia encerro meu primeiro ano como universitária! O curso de fotografia também está bem mais acelerado que no começo e já estamos tendo aulas de edição – o que é incrível!- e muitas aulas práticas por mês. Além de tudo, estou preparando algumas novidades e coisas bem legais aqui pro blog e isso tem gastado boa parte do meu tempo livre, mas juro que vai valer a pena e em breve volto à minha frequência normal de posts. Essas são as razões que me tiraram um pouquinho daqui, mas estou sentindo saudades e prometo que volto assim que possível – enquanto isso, estou tentando manter a leitura e comentário nos blogs amigos  atualizados.

_DSC0022

Apesar dessa introdução enorme, hoje vim mostrar pra vocês as novas moradoras da minha casa e o mini jardim fofo que eu e minha mãe fizemos pra elas!

Desde que mudamos de casa minha mãe fala que quer ter mais plantas… A gente sempre teve violetas e línguas-de-sogra espalhadas pela casa quando eu era pequena, mas o espaço era pouco e o tempo pra cuidar delas foi diminuindo… Nunca passamos muito disso. Quando mudamos, minha mãe falou que queria fazer um mini jardim, mesmo que fosse algo bem pequenininho mesmo.

Eu obviamente amei a ideia – minha coisa preferida desse apartamento ainda é a árvore na janela da sala e trazer um pouco desse verdinho aqui pra dentro não seria uma má ideia. Mas virou uma daquelas coisas que a gente fica falando pra sempre “vamos fazer” e nunca faz, sabe? Aí mês passado teve uma feira de orquídeas e suculentas aqui em BH e minha mãe voltou pra casa cheia de vasinhos. Comprou também um vaso bem maior que todas as plantinhas com a ideia de colocar todas juntas em um vasinho bem fofo… Eu amei!
_DSC0029

Ficamos adiando mais um tempinho e finalmente no feriado da quarta feira tiramos uma meia horinha pra montar o jardim… Vimos alguns vídeos no youtube e começamos: colocamos pedras no fundo do vaso, terra, as plantinhas, completamos com mais terra, umas pedrinhas brancas em cima pra enfeitar manter a umidade… Por fim, colocamos alguns enfeites e nossas pedras – elas sempre ficam nos nossos quartos pra energizar, mas por enquanto vão ficar no jardim… O contato com a terra vai ser bom pra elas também.

_DSC0019_DSC0012

E assim ficou pronto nosso pequeno jardim de suculentas! Eu achei uma fofura só, as plantinhas são tão picutuchas que nem sei lidar… é muito bonitinho! Aproveitei e fiz uma pequena sessão de fotos delas, que vocês podem ver ao longo desse post. Como disse, é um post bem básico só pra mantê-los atualizados e exibir nosso novo jardim. Espero que tenham gostado, e aproveitem pra me contar aqui embaixo nos comentários como anda a vida, o que vocês tem feito… Alguém mais aí apaixonado por plantinhas e suculentas? Vou adorar saber!

_DSC0011
_DSC0007
_DSC0014

4 Comentários
07 11 2017

Aquilo que me engole

Aquilo que me engole - devaneios sobre ansiedade

A ansiedade vai me engolindo e quando vejo já não tenho mais controle de mim. Já não dá pra focar na leitura, nas aulas, até os vídeos do youtube se tornam trilhas sonoras aleatórias pros pensamentos que não param nem por meio segundo. Dormir é difícil, comer fica esquecido e as unhas que outrora me orgulhava de estarem crescendo já viraram cotocos outra vez. Escrever é o maior desafio. Eu quero escrever. Quero seguir a vida normalmente. Quero conseguir falar sobre tudo o que tem acontecido. Mas a ansiedade me bloqueia as palavras, emudece, trava.

Eu respiro fundo, penso positivo, tento me controlar. Consigo por 5 ou 10 minutos e sei que já é uma vitória enorme – são essas pequenas grandes vitórias que nos mantem vivos. No abraço dele relaxo, distraio, encontro aconchego e durmo bem. Parece que tudo volta ao normal.

Basta o pensamento escapar por meio segundo e a barriga dói de novo. O monstro toma conta de mim e da minha respiração antes mesmo que eu perceba. Reconhecê-lo é difícil as vezes, uma companhia tão antiga que já é parte de mim. Lembro-me das primeiras vezes que o senti por perto, sem saber que nome dar… Não tinha idade suficiente para entender o conceito.

Com tanto tempo, a gente vai aprendendo a reconhecer. Sei listar uma por uma as inúmeras reações que ela provoca no meu corpo. E aí vou tentando controlar, lidar com ela, não deixar que tome conta de mim. Tento acreditar que cada uma das situações que a trazem de volta não são nada de demais – todo mundo passa por isso, eu também consigo. Mas as vezes tudo que eu queria era poder entrar numa redoma e não precisar passar por nenhuma decisão difícil. Nenhuma prova importante. Nenhum exame, avaliação, nada disso. Viver em uma ilha isolada onde os “E se” não entram.

Me lembro que não tenho ossos de vidro, que tudo vai ficar bem. Eu aguento cada um dos “E se” e tenho um tanto de gente fantástica ao redor pra me apoiar. Tento praticar aquele exercício de respiração de novo. Vai ficar tudo bem, independente do que aconteça… vai sim. Logo mais, amanhã já vem.

10 Comentários
Tags: ,
26 10 2017

Flickr: 5 perfis incríveis pra conhecer e se inspirar

Flickr: 5 perfis incríveis para se inspirar

Muita gente nem lembra mais do Flickr depois da invenção do Instagram: simplesmente deixaram a rede de lado e migraram para a nova rede social de fotografia favorita. Eu, particularmente, gosto muito do Flickr. Adoro quando descubro um fotógrafo legal que mantem um perfil ativo por lá… pode ser chatisse minha, mas consigo ficar mais tempo analisando uma foto, observando detalhes, realmente estudando a foto por lá… Além da qualidade maior, acho que até o layout lá colabora pra isso.

Além disso, no flickr só sigo perfis sensacionais, pra inspirar e estudar mesmo… No instagram sempre tem aquele colega da escola postando foto tremida da balada, as mil selfies de amigos, as mil lojas e food trucks que a gente acompanha… Ao mesmo tempo, acho o instagram mais pessoal e comercial. Não estou dizendo que é pior: Adoro o insta, como já falei aqui varias vezes… Amo a nova função das “coleções”, amo ver fotos dos meus amigos, sigo fotógrafos incríveis por lá.  Inclusive, acredito que essas fotos “não profissionais”, nem tão pensadas e etc são ótimas fotos de inspiração também… Mas gosto de manter o perfil no flickr como um lugar só de fotos lindas, sabe?

Agora que já escrevi um testamento aqui em cima, vamos aos perfis: Tem perfis bem diferentes por aqui. Uma coisa triste do flickr é não conseguir saber muito sobre o fotógrafo se ele não linka outras redes… mas até gosto desse mistério. Alguns acredito que eu já tenha citado seus perfis no instagram, mas ainda assim é válido acompanhar pela outra rede por ter mais fotos/fotos diferentes. Vamos aos perfis?

Flickr: 5 perfis para se inspirar!

1- Tina Sosna


My autumn jungle - Flickr Tina Sosna

Já falei do insta da Tina, mas não poderia deixar ela de fora desse post porque simplesmente amo as fotos dela e adoro acompanhá-la pelo Flickr. Se o que você procura são fotos lindas analógicas, com um tom super bucólico – muita natureza e carinha de vida no campo – você precisa segui-la. Além de fotos incríveis, ela tem um estilo maravilhoso e um blog muito legal, em inglês: O Worte in Bildern!

 

2- Mirjan

IMG_0687 Flickr Mirjan_Eu sei um total de 0 coisas sobre esse perfil, mas imagino que seja uma mulher. O perfil é cheio de fotos verticais – o que é uma dificuldade pra mim, tanto na hora de fotografar quanto pra escolher e colocar aqui; adoro isso pois me mostra que fotos verticais (modo retrato) podem ser incríveis também. As fotos tem um ar bem sombrio e melancólico, cheias de céu nublado, neblina, tons frios… mas também tem algumas fotos com tons mais quentes em ambientes internos, sem perder o tom e o encanto.

3- Yasmim Barroso

Flickr Yasmim BarrosoYasmim é de BH e tem uma loja de papelaria incrível também… As fotos no Flickr dela me dão uma sensação mais “tumblr”, com edições bem diferentes, composições divertidas… Ela também tem alguns trabalhos com boudoir maravilhosos na sua galeria.. Ela não posta há um tempinho, mas vale a pena ver as fotos que já estão por lá.

4- Isabella Mariana

Sweet Dolls - por Isabella Mariana FlickrFotos incríveis, cores fantasiosas e uma edição super surrealista dão origem a esse perfil incrível que é o mais diferentão da lista. Eu fico hipnotizada vendo essas fotos, mesmo sendo fã das cores e edições mais naturaizinhas. As fotos são muito artísticas, poéticas e expressivas… E é divertidíssimo entrar no feed e ver gente voando e coisas impossíveis de um jeito tão bem feito e delicado.

5-  Mônica Cugnier

Mônica Cugnier Flickr
Eu descreveria o estilo das fotos dessa moça como “tumblr” porque é a primeira palavra que me vem à cabeça quando vejo… Se visse uma foto dela por lá reblogaria facilmente achando maravilhosa. As fotos tem um ar mais urbano e moderninho, com um uso maravilhoso da luz em diferentes situações. Até eu que sou a louca das fotos na natureza fico apaixonada.

 

Esses são só alguns dos meus perfis favoritos, então já sabem: Se quiserem mais indicações é só me pedir nos comentários que posso fazer uma parte 2 desse post! Vocês ainda usam o Flickr? Gostam? Se sim, aproveitem pra me seguir por lá também! E já conheciam algum desses perfis? Gostaram das indicações? Me contem tudo!

7 Comentários
23 10 2017

Corridinho – reflexões de uma semana corrida

Corridinho - reflexões sobre uma semana corrida - Por Laura Nolasco

A minha mente tem umas coisas esquisitas: Quando estou com muito  tempo livre nunca penso em coisas diferentes pra fazer; Fico deitada reclamando do tédio porém com preguiça demais pra sair dele. É só a agenda ficar mais cheia que começo a pensar em mil e uma coisas que queria fazer e planejar nos poucos momentos livres tudo que vou fazer quando tiver tempo – opa, adivinha? Quando as tardes livres voltarem ou não vou lembrar mais de nada ou vou parar pra “dar uma descansada” e cair de novo no ciclo da procrastinação eterna.

É assim que tem sido esse mês – resolvi finalmente fazer coisas que estava adiando há muito tempo e agora estou desesperada porque não tenho tempo pra nada. Sobrecarregada mesmo. Saindo de casa cedo e voltando tarde da noite. E minha mente está mega animada pensando em sair do sedentarismo, aprender a costurar, tentar aprender a fazer aquarelas, sair sozinha pra fotografar os lugares x e y… Quero só ver como vai ser quando o ritmo voltar ao normal – se é que vai voltar assim tão cedo.

No meio disso tudo tô sentindo falta de escrever por aqui. Mas ao mesmo tempo sem conseguir pensar em assuntos muito externos a tudo que tô vivendo, mas ainda sem conseguir falar sobre tudo isso. É um misto de “quero compartilhar” com um “realmente alguém quer saber disso?” e um toque de “Até onde posso compartilhar?”. Eu tenho aquela mania de só querer compartilhar as coisas quando elas dão certo – não por achar que alguém vai sacanear nem nada disso – discordo totalmente daquela história de que é mais feliz quem esconde as próprias alegrias, sabe? – mas porque tenho medo de me frustrar e acabar tendo que me explicar e tudo o mais.

Isso tudo me leva a mais uma reflexão: Até onde é saudável compartilhar minha vida por aqui? Em alguns momentos eu queria poder contar cada segundinho do dia, em outros acho que ninguém tem tanto interesse assim pela minha vida – que tá longe das vidas de instagram– e ainda em outros tenho medo de expor demais. As vezes sinto raiva porque nunca acho que estou expondo demais, mas penso que os outros acham que estou expondo demais e mesmo sabendo que não devia me importar com isso, eu me importo.

Eu cresci junto com esse cantinho aqui – vale lembrar que ele nasceu quando eu ainda tinha 12 anos e tava no auge das transformações da adolescência. Muitos começos e fins estão registrados aqui, faz parte da minha vida. As vezes eu só queria que fosse como no começo e ninguém conhecido soubesse da existência do blog, mas não é bem assim… A minha maior dificuldade ainda é que as pessoas mais próximas de mim tenham acesso ao que eu escrevo. Sei que outras blogueiras me entendem, queria saber como elas lidam com isso. Falar de medo, insegurança, ansiedade… Tudo isso é muito mais difícil quando as pessoas ao seu redor vão ler.

Fico aqui procurando o equilíbrio e tentando não surtar. Planejando posts que ainda não tive coragem de postar. Lendo os blogs tão incríveis que acompanho e duvidando que esse medo já tenha existido na cabeça de alguém algum dia. E tentando lembrar que sim, todo mundo aqui nesse mundo dos blogs é humano e que, se não foram esses os medos, com certeza foram outros. Enquanto isso, peço desculpas pelos surtos reflexivos e posts talvez confusos demais pra serem compreendidos por qualquer um que esteja fora da minha cabeça e agradeço pelo carinho e companhia de sempre.

 

3 Comentários
18 10 2017

Coisas que me fazem feliz (E não são coisas!)

 

Coisas que me fazem feliz e não são coisas

Tá tudo uma correria por aqui, mas por bons motivos. Resolvi dar uma pausinha no blog pra não me sobrecarregar e não ficar fazendo tudo por obrigação – tô seguindo meu ritmo e tentando não surtar. Acredito que em mais 2 semanas isso passa e volto ao normal, mas não vou garantir muita coisa. Só queria dizer que não abandonei o blog e tô sentindo saudade de postar por aqui e comentar nos cantinhos de vocês também – só tá faltando tempo. Tenho saído de casa de manhã e só voltado de noite, então tá bem difícil, mas não é uma reclamação de forma alguma.

Resolvi trazer esse post rapidinho só pra matar a saudade de escrever aqui e aproveitar um dia no meio de muitos que pude ficar em casa por um pouquinho a mais de tempo. Vi essa “TAG” no blog da Carol e há tempos queria trazer pra cá – vocês sabem que eu adoro essa coisa de compartilhar amor e coisas que deixam o coração quentinho, né? Esse post é um amontoado de coisinhas não materiais que me deixam muito feliz. Pelo que a Carol falou, a ideia do post veio do blog Chez Noelle.

Coisas que me deixam feliz e não são coisas

1- Passear de mãos dadas em lugares bonitos
2- Fazer uma comida MUITO gostosa
3- Acordar abraçadinha ❤
4- Fotografar em um lugar muito bonito
5- Conseguir realizar uma foto do jeitinho exato que eu imaginei
6- Estar na estrada
7- Ouvir, por acaso, uma música que amo mas não lembrava/não ouvia há muito tempo
8- Botar os pés na terra
9- Cheiro de canela ❤
10- Aprender uma coisa nova
11- Escrever
12- Cheiro de pão novo
13- Bebês
14- A sensação de usar vestido em um dia de vento
15- O  pôr-do-Sol
16- Cozinhar com o João
17- Dançar até os pés doerem e aí continuar dançando
18- Cheiros que me lembram de gente querida
19- Abraços, sorrisos e gargalhadas
20- Puxar a bordinha das folhas de caderno espiral que tem lugar pra “destacar”
21- Terminar de escrever uma página naturalmente e ver que ela ficou visualmente bonita
22- Ver fotos das minhas fotografas favoritas
23- Casa cheia
24- Cantar alto uma música que eu gosto muito
25- Lugares cheios de natureza
26- Paletas de cores bonitas
27- Vídeos de gatinhos
28- Encontrar uma playlist sensacional do início ao fim
29- Pinturas, textos e qualquer arte relacionada ao sagrado feminino
30- Luzes bonitas

 

Essa foi a listinha de coisas que separei! Vocês também ficam felizes por alguma dessas coisas? E quais outras? Me contem!

6 Comentários
Tags: , ,
02 10 2017

Talking About #2 – Fotografia, equipamento, inspirações…

Fotografia, equipamentos, inspirações... Talking About #2

Eu já contei por aqui o tanto que gostei da ideia do Talking About que a Laís do blog Candy Deer  criou. É basicamente uma série de 3 posts com perguntas pessoais, de fotografia e sobre a blogesfera. No blog dela já saíram todos os 3 posts, e o meu primeiro já saiu por aqui também.

As perguntas dessa vez são sobre fotografia – e adorei porque é um post bem completinho com perguntas que vocês sempre me fazem. Tem coisa sobre equipamento, sobre edição, sobre estilo, inspiração, história com a fotografia… No final, vocês vão saber muito mais sobre o que a fotografia é e como ela “funciona” pra mim. Sem mais delongas, vamos às perguntas?

 

Talking About – Fotografia!

1. Qual/quais câmera/s e lente/s usa?

Uso uma Nikon D5200, a famosa lente do kit (18-55mm, F/3.5-5.6) e uma lente Yongnuo 50mm f/1.8 . Até poucos meses atrás era só a lente do kit, e já teve gente brigando comigo dizendo que eu tava mentindo que não dava pra fazer “essas fotos” com a lente do kit. Apesar de estar num amor recente com a 50 mm (principalmente pelo desfoque), acho a 18-55mm ótima em várias situações e não entendo a birra que a galera tem dela – Ok, é uma lente escura, mas eu fotografo ao ar livre, então… isso não chega a ser um grande problema. Além disso, tenho filtros close-up +1, +2, +4 e +10 que comprei pra brincar mesmo e adoro, já que adoro macro e não tenho condiçõe$ de ter uma lente macro só pra brincar, e um kit de filtros UV, ND e CPL que nem sei usar direito até hoje.

Fotografia - Equipamento, inspirações... Talking About #2

2. Pensa em próximas aquisições?

Existe alguma possibilidade de gostar de fotografia, trabalhar com isso e não pensar em próximas aquisições? Óbvio que a gente fica sonhando com o dia que vai poder comprar uma Full Frame, né? hahahah…
Como a aquisição da 50mm é muito recente, ainda não parei pra pensar sobre outras lentes… Imagino que a próxima seja alguma mais “aberta” pra usar em eventos, já que a 50mm não é muito boa pra isso e fico presa com a 18-55mm. Já pensei na 35mm, mas ainda não sei. Também pretendo comprar um flash pra eventos.
Além disso, de “investimento” com a fotografia, não é uma aquisição, mas quero consertar a pentax analógica que temos aqui em casa ou comprar outra analógica e começar a usar. Tô sonhando com explorar um pouco desse mundo e quem sabe um dia até oferecer um pacote com algumas fotos analógicas pros clientes… imagina que lindeza?

3. Quais os programas de edição?

Eu uso o LightRoom 99% do tempo… Por fotografar em RAW e por ele ser mais prático para edição de luz e cor que é basicamente o que faço nas minhas fotos… Quando preciso ou quero fazer algo mais diferente, uso o Photoshop também… Ainda quero testar o Camera RAW do phothoshop que dizem ser muito bom também, mas sempre esqueço.  

4. Quais apps usa no celular?

Eu raramente edito fotos no celular, assim como raramente fotografo pelo celular. Mesmo as fotos feitas pelo celular, tenho mania de editar no PC hahahah.. Mas quando preciso – pra ser mais rapidinho ou mais prático mesmo – uso o LightRoom Mobile ou o VSCO Cam. Não gosto do fato de eles tirarem a qualidade das fotos, mas acho que esses dois tiram num nível ainda aceitável.

5. Fotografa há muito tempo?

Eu nem lembro com que idade ganhei minha primeira câmera analógica, mas eu era uma criança que saía pra fotografar com minha mãe. Com uns 10/12 anos acredito comprei minha primeira câmera digital, uma Nikon Coolpix que viveu comigo até os meus 15 ou 16 anos quando ganhei do meu pai a minha câmera atual… então sim, fotografo há muito tempo e estudo fotografia há mais ou menos uns 5 ou 6 anos!

6. O que você mais gosta de fotografar?

Pessoas. Eu gosto de fotografar bicho, paisagem, objeto, detalhe… Mas não tem nada que me encanta mais que fotografar gente, e principalmente mulheres. Se for ao ar livre e tiver uma luz bem suave e amarelada, eu não preciso de mais nada pra ser feliz – sério, chego a ficar sem fôlego de felicidade.

7. Como define seu estilo fotográfico?

É difícil dizer, eu diria que é bem “natural” – eu gosto de coisas simples, cotidianas, não posadas sabe? A edição bem leve e puxando um pouco pro estilozinho analógico – pouco saturada, com um pouco de granulação, cores suaves… Acho que isso combina bastante com os lugares e luzes que gosto de fotografar.

8. Qual foi sua primeira foto em uma rede social de fotografia?

Em rede social de fotografia acredito que tenha sido o Flickr, mas antes já postava fotos no orkut e no tumblr – ou seja, coisas que não consigo mais recuperar. Fui procurar no Flickr e a primeira que tenho postada lá é de Agosto de 2014, mas tenho certeza que apaguei algumas anteriores.. É essa foto aí, bem sem gracinha de um pôr-do-Sol, mas que na época por algum motivo eu gostei. Adoro ver a evolução através de fotos antigas assim!

Primeira fotografia em rede social de fotografia

9. Já fez algum curso fotográfico?

Como vocês sabem, em agosto comecei um curso de fotografia e tô completamente apaixonada – nem 2 meses de curso e já estamos na 5ª aula prática se não me engano. Tô aprendendo muita coisa legal e entendendo melhor muita coisa que eu já sabia. Antes disso já tinha feito muitos cursos online, workshops, lido MUITO, assistido centenas de horas de vídeos no youtube (já falei disso aqui, inclusive)… A maior parte do que sei foi disso – apesar de ver esse cenário mudando de acordo com que o tempo de curso vai passando.

10. Tem alguma inspiração/referência pras composições?

É complicado falar sobre inspirações e referências porque eu sou do time que defende a ideia de que tudo que a gente vivê, vê, lê, ouve e sente inspira. Se eu for listar minhas referências por aqui vou fazer uma lista gigante e não vai acabar – mas ó, tá nos planos fazer isso um dia ainda. Posso dizer que há muito tempo minhas maiores inspirações são os fotógrafos Passarelo e minha fotógrafa preferida, a Camilla Albano.

11. Duas fotografias favoritas (uma tirada por você e uma de outro fotógrafo).

Essa pergunta vai causar um caos eterno na minha mente e na minha vida, socorro hahahahah… Fotos minhas é muito difícil escolher, principalmente depois do último ensaio que fiz que me deixou loucamente apaixonada por todas as fotos… Mas pra não sair botando foto de cliente aqui, vou escolher outra. Gosto muito de fotos do pôr-do-Sol e de flores, diria que tirando as de pessoas são minhas favoritas… Essa fiz na praia no início desse ano e fiquei apaixonada pelas silhuetas e cores e reflexos nela!
pôr-do-Sol - Fotografia #Talking About

De outra pessoa eu consigo pensar em uma infinidade de fotos da Camilla Albano e dos Passarelo (do canal Dupla Exposição)… Sem contar em uns fotógrafos de casamento gringos que me deixam babando. Da Camilla Albano recentemente me apaixonei por essa aqui, mas há anos essa é uma das minhas preferidas:

12. Quais sites de fotografia mais te ajudam?

Eu já falei sobre isso no post que linkei ali em cima, mas basicamente: Os canais do youtube Dupla Exposição, Isis Castro e Letra na Foto e os sites do Iphoto e blog da canon são alguns dos meus queridinhos.

 

É isso! Espero que tenham gostado de descobrir um pouquinho mais sobre minha história com fotografia, inspirações e equipamentos… Me contem o que acharam das respostas, quais são seus fotógrafos ou fotos favoritas, qual é a sua história com a fotografia… Vou adorar saber um pouquinho mais de vocês também! ❤

5 Comentários
25 09 2017

20 antes dos 20

20 antes dos 20 - Minhas Metas

Eu tô numa correria aqui que tá difícil parar e passar por aqui – muitas fotos de muitos trabalhos pra editar, curso, faculdade, auto escola.. Sabe aquelas semanas que tudo acumula e você fica perdidinho? Pois é. Tô dando conta, mas tive que priorizar algumas coisas e o blog tirou uma semaninha de férias por isso. Tô aqui de volta hoje torcendo pra conseguir fazer mais um post essa semana ainda!

Ano que vem eu completo duas décadas – que coisa louca é pensar nisso! Até pouco tempo atrás 1 ano parecia um tempo absurdo, mas os anos vão se somando e a nossa percepção de tempo muda, não é? Fiquei muito na dúvida sobre fazer esse post depois de ter falhado no último post de metas por aqui… Mas realmente é algo que me faz muito bem e que ajuda muito a me manter focada nos meus objetivos.

O post vem hoje porque é dia 25, e meu aniversário é dia 25 de junho, então… Temos 9 meses até lá. Acho que esse é o post de metas mais “a longo prazo” da história do blog – como já contei por aqui, acabo funcionando melhor com metas a curto prazo, mas dessa vez resolvi fazer diferente pra ver no que vai dar. Sem mais enrolação, vamos às 20 coisas que quero fazer antes de completar 20 anos? Como sempre, dividi em categorias pra facilitar! (A foto aqui de baixo é do meu professor Bruno  e foi tirada durante uma aula prática! )

20 metas antes dos 20 anos

Pessoal

1. Tirar carteira de motorista – Tá aí uma coisa que comecei, enrolo sempre mas… Agora vai!

2. Começar a planejar uma viagem sozinha – Sempre tive vontade, mesmo que seja pra uma cidade aqui pertinho

3. Pintar meu quarto – Desde que mudei, é a coisa que mais me incomoda no meu quarto. Cansei de esperar minha mãe resolver pintar a casa toda e vou começar pelo meu quarto.

4. Fazer prateleiras no meu quarto – Tenho uma estantezinha que ocupa mais espaço que o necessário sem ser totalmente útil. O plano é tirar ela e substituir por prateleiras.

5. Fazer uma MEGA LIMPA nas minhas coisas – Doei quase metade do meu guarda-roupas esses dias… Mas ainda não tô achando suficiente. Agora vou passar pra papelada e outras coisas.

6. Continuar cuidando mais de mim – Aqui está incluso passar protetor sempre antes de sair E beber 2L de água por dia;

7. Fazer uma nova tattoo – Tem tempos que tô querendo fazer uma nova tattoo… já tenho ideias, orçamentos… Só falta a grana mesmo hahahhaha

 

Blog

8. Retomar e manter ativo o canal do youtube – Quem me acompanha sabe que é uma meta antiga, vamos ver se consigo dessa vez!

9. Fazer mais Looks do Dia – Outra meta antiga.

10. Conhecer pessoalmente mais blogueiras – Sair do “vamos marcar” com algumas moças lindas que acompanho ❤

11. Post comemorando 7 anos de blog! – Fiquei triste de não ter comemorado os 6 anos… Não deixarei os 7 passarem em branco!

12. Resenhar um livro por aqui – mais uma meta antiga, que fica cada vez mais difícil com a correria cotidiana.

13. Mais posts sobre fotografia – Vamos ver se com a animação com o curso eu tomo vergonha na cara, não é?

 

Estudos, trabalho e cultura

14. Fazer uma logo para o @lnolascofotografia  (ou melhor, pro meu trabalho com fotografia) – uso uma que fiz com pressa depois de ter umas fotos “roubadas”, mas queria algo mais bonitinho e bem feito.

15. Começar a juntar $$ para trocar de câmera – Não é algo mega urgente, mas preciso ter uma graninha guardada pra quando isso for necessário.

16. Fazer um ensaio no sítio – É um desejo antigo que acabo sempre adiando também.

17. Conhecer 5 novos restaurantes – É uma das coisas que mais gosto de fazer com João quando saímos em BH. Já descobrimos tantos lugares incríveis!

 

Compras

18. Fazer cartões de visita de fotografia – Já passou da hora. Já tem até cliente puxando minha orelha por ainda não ter. Morro de vergonha inclusive.

19. Comprar um HD externo – Fotógrafos de plantão vão entender o drama e a necessidade.

20. Comprar roupas para trabalhar – Eu costumo usar um mesmo estilo de roupas pra fotografar, mas queria fazer algo um pouco mais profissional pra usar como uniforme mesmo e parar de gastar minhas roupas/ficar com dificuldade na hora de escolher roupas.

 

Essas são as 20 coisas que pretendo fazer antes de completar minhas duas décadas, hahaha… E vocês, o que pretendem fazer ainda esse ano ou no ano que vem? Também estão com a sensação de “socorro, 2018 já tá aí!”?

 

20 Comentários
14 09 2017

As maravilhas da organização

Ou, o dia que eu até consegui beber 2L de água

Organização, água, bullet journal

Escrevo esse post 19 minutos  depois de o relógio ter virado pro dia primeiro de setembro. Muito provavelmente ele só vai ao ar daqui há uns bons dias simplesmente porque o tema não vai perder a importância e tenho outros posts com prioridade – que no caso já saíram agora que você está lendo, então se não leu ainda pode correr lá pra ler, eu espero.

Dia 31 foi simplesmente um dos dias mais loucos da minha vida. Meu bullet journal tem mais que 10 tarefas marcadas e a menor delas demora pelo menos 40 minutos pra ser feita. No meio da loucura toda: preciso terminar um trabalho que achei que era pra amanhã (dia 1) e escrever o post da blogagem coletiva sobre o Blog Day porque é uma data que eu adoro e não posso deixar passar em branco e isso antes de 12:00 porque às 13:00 eu preciso sair pro curso de fotografia, e antes disso almoçar e tomar banho e deixar tudo pronto pra sair.

Já perdeu o fôlego? Calma que tem mais. No curso de fotografia é dia de aula prática, então além de todos os cadernos pra aula na faculdade eu tenho que levar câmera e passar 3 horas da minha tarde fotografando – incrível, mas cansativo. Primeira prática externa, expectativas a mil e calor suficiente pra derreter minha alma. Aí é sair rapidinho, pegar o ônibus, ir pra faculdade, enfrentar fila do xerox, imprimir trabalho, engolir um salgado qualquer e ir pra primeira aula. A segunda aula é apresentação de seminário do meu grupo – que estava me deixando ansiosa desde o primeiro dia de aula. A missão é simplesmente dar uma aula inteira (1h40min!!!) em inglês sobre um tema de gramática. Socorro? Socorro.

No meio disso tudo onde que minha mente tá focada? Isso mesmo, na prova de legislação da auto-escola que foi marcada pra segunda feira. (Spoiler: eu passei! E agora estou aguardando minha LADV pra começar as aulas de rua!) Eu simplesmente era um buraco negro de ansiedade na quarta a noite antes de tudo isso acontecer e não conseguia focar em nada porque começava a pensar em algo e aí pensava que também tinha que pensar na outra coisa e na outra e na outra e não tinha fim. Aí eu percebi que precisava me organizar.

Peguei meu bullet journal, deitei, respirei e pensei ‘vai ter que dar tempo pra tudo vamo ver como a gente vai fazer isso’. Fui fazendo uma estimativa de quanto tempo ia demorar pra cada coisa e tentando jogar o tempo pra cima pra tudo pra não ter imprevistos. Eu tinha pensado até o momento que ia ligar o fogão pra botar a comida pra esquentar pra aproveitar o tempo que ela esquentava arrumando a mochila.

Quando meu despertador tocou de manhã eu queria me enrolar no edredom e fingir que não era comigo. A minha cabeça em meio segundo calculou tudo e estampou um grande “NÃO VAI DAR CERTO VAI SER UM FRACASSO” na minha mente. Eu quase tive uma crise de ansiedade antes de sair da cama e eu tenho certeza que não teria conseguido sair da cama se ela tivesse evoluído – mas levantei, respirei, enchi minha garrafinha d’água e dei uma respirada. Das pequenas grandes vitórias diárias.

Peguei meu bullet journal que já tava organizado por horário e prioridade – e, confesso, voltei a ficar ofegante com medo de nada funcionar. Foquei, ok – primeiro passo, algumas horas depois primeiro check. E segundo. E terceiro. E quando dei por mim já estava sentada depois de almoçar com tudo pronto pra sair, de banho tomado batendo papo no Facebook com uma moça que veio me pedir algumas dicas sobre o coletor menstrual enquanto esperava o horário do ônibus. Quando percebi esse momento eu ri e fiquei muito feliz. Dei mais um gole de água e OPA! Minha garrafinha de 1L estava vazia.

Ok, eu explico o lance da água: eu me controlo pra tomar pelo menos 2 litros por dia desde que descobri minha coleção de pedras nos rins ano passado. É uma das únicas coisas que realmente faço cotidianamente pra cuidar da minha saúde e é absurdamente importante pra mim. Mas é ficar muito ansiosa ou muito cheia de coisas pra fazer que esqueço até a garrafa lá do lado da cabeceira e só lembro de beber água na hora de dormir. Isso realmente me deixa decepcionada porque não é nada difícil beber água, né? Já era pra ter virado um hábito.

Fui pro curso, tive uma aula incrível, terminei a prática com tempo sobrando. Aproveitei a meia horinha de sobra pra sentar na grama, tirar o sapato, esquecer o resto do mundo. Fiquei ali sentada conversando com os colegas da sala, sentindo o pé no chão, observando as crianças brincando na praça, pensando em como eu tava feliz de estar ali naquele momento naquele dia tão cheio e louco. Acabou a aula, fui pro ponto, dei a sorte nunca antes registrada de pegar o ônibus vazio.

Cheguei na faculdade e consegui fazer tudo o que tinha que fazer a tempo. A apresentação do trabalho foi um sucesso. Fiquei mil vezes menos nervosa que da última vez que apresentei um trabalho em inglês. Deu orgulhinho de mim e do grupo de um jeito que nem sei dizer. Saí da sala e quando vi tava enchendo minha garrafinha de água que tava vazia pela segunda vez no dia. Todas as tarefas do dia já tinham ganhado um check. E eu nem tava morta retalhada no chão – tava inclusive bem feliz e cheia de energia boa.

Esse post pode parecer completamente louco e sem sentido e cheio demais da palavra “água” pra você. Mas pra mim ele é o relato de um dia que eu venci graças à organização. E ao pé na terra no meio da tarde. E aos dois litros de água. E à força de vontade. Resolvi compartilhar porque pode ser que amanhã ou semana que vem você tenha um dia louco também e lembre que se eu consegui você também consegue – como diz o ditado popular, se a Britney sobreviveu a 2007 você consegue sobreviver a esse dia. O fim do dia teve direito a brigadeiro e o moço me ligando dizendo “parabéns você sobreviveu!”. Se não tiver ninguém pra te ligar nesse dia, vem aqui e lê de novo: Parabéns, você conseguiu! E a gente é incrível por ter conseguido.

11 Comentários
07 09 2017

Pequenas Alegrias • Agosto 2017 • Fotografia, fotografia, fotografia!

Agosto - Pequenas Alegrias!

Agosto passou voando como nunca antes, o mês que normalmente dura anos chegou, foi e eu mal tive tempo pra respirar. Apesar da correria – e de me sentir o Coelho de Alice por grande parte do mês,  ATRASADO! ATRASADO!–  agosto foi cheio de coisas incríveis, de momentos deliciosos, de motivos pra sorrir. Mês cheio de coisa boa é mês que tem post de Pequenas Alegrias, não é? Apesar de já ser o segundo post de Setembro, esse é o post que vou contar sobre Agosto. E juro que esse é o último post preso no passado, semana que vem eu já volto pra atualidade e começo a viver setembro.

Pequenas alegrias – Agosto de 2017

Dia 8 – Curso de fotografia!

Curso de fotografia - Agosto!

No dia 8 tive meu primeiro dia de aula no curso de fotografia! Está sendo simplesmente incrível, não sei nem o que dizer. Desde o dia que meu pai me deu o curso eu estava contando os dias pra começarem as aulas! As primeiras 2 aulas foram bem “básicas” pra mim, mas na terceira já começamos a entender melhor balanço de branco, teoria das cores e aí já começou um tanto de coisas que eu ainda não sabia ou não tinha entendido direito! Já tivemos duas aulas práticas e cada vez estou mais apaixonada. A foto lindíssima do início do post e a desse tópico foram feiras pelo meu professor, Bruno Resende, confiram o insta dele!

Dia 12 – Pai e irmãos!

Agosto 2017 - Pai e irmãos

Tinha MUITO tempo que não encontrava Mariana, minha irmã. No sábado antes do dia dos pais saímos todos juntos – eu e João, meu pai, Thiago, Mariana, o namorado dela, Sandra (namorada do meu pai) e o filho dela, André. Comemos um hambúrguer delicioso no Duck and Duck, conversamos muito, matamos a saudade… Depois o resto do pessoal caçou seu rumo e eu, João, Mari e Gustavo ficamos sentados em um barzinho até altas horas jogando conversa fora. Foi ótimo, eu tava morrendo de saudade.
No dia dos pais cedinho fomos pro sítio pro João passar o dia com Ferrari… Foi ótimo também passar um tempinho lá com todo mundo, fim de semana mega família hahah

Dia 15 – Slings no parque!

Oficina slings BH - Papai carregadeiro  - Agosto 2017

Na terça feira era feriado e já estava eu de novo em BH pra fotografar a oficina de slings do Papai Carregadeiro. Foi incrível conhecer a Débora, Victor e Malk e poder registrar um momento tão incrível (acompanho essa família desde o Deborices, mais alguém?). A oficina ensinou sobre várias amarrações de sling e sobre os panos mais adequados pra cada idade, teve consultora de amamentação, dança circular e MUITOS bebês fofíssimos, obviamente. Foi simplesmente incrível pra mim fotografar um evento de divulgação de uma ideia/coisa que acredito e apoio tanto e conhecer todas as pessoas incríveis que organizaram e participaram do evento… Principalmente, me encantou ver tantos papais carregadeiros ❤

Dia 19 – Feira de brechós e  Dia da fotografia!

Agosto - Doce Amor Gastrô

Dia 19 foi Dia Internacional da Fotografia e não dava nem pra pensar em deixar passar batido, não é?
De manhã fui em uma feira de brechós que rolou aqui na minha rua e adorei! Muita coisa legal pra garimpar, e me controlei pra sair de lá só com uma camisa branca (de 10,00!). Por lá comi um hambúrguer SENSACIONAL do Doce Amor Gastrô. Sério, um dos hambúrgueres mais gostosos que já comi.

Dia 19 de agosto - Dia internacional da Fotografia

Em BH rolou um evento super legal, o Circuito Fotografia e Patrimônio Cultural e eu queria muito ter ido em mais dias, mas passei por lá só no sábado e vi as exposições de fotos antigas de BH de Minas e a feirinha do Faísca – fiquei loucamente apaixonada! Fui com minha mãe e ficamos lá curtindo a praça da liberdade e a exposição por um tempo, vimos a exposição que está no CCBB, tomamos um milk-shake no xodó como de costume (experimentem o novo de café! É incrível!) e depois voltamos pra casa. Foi um dia muito gostosinho!

Dia 26 – Fotografei o casamento Lua e Vini!

Casamento Lua e Vini - Agosto

Eu fotografei um casamento!!! A filha da melhor amiga da minha tia, que eu conheço desde que me entendo por gente, casou lá no sítio… E me chamou pra fotografar junto com outras amigas dela que são fotógrafas! Foi incrível, eu sempre morri de vontade de fotografar um casamento mas já recusei 2 vezes porque não é algo que dá pra fazer sozinha, né? Foi tudo lindo e fiquei mega feliz com as fotos. Fiquei apaixonada com o vestido dela, com a decoração… O dia foi delicioso – e a comida nem se fala… hahahah

Dia 28 – Parceria com a Donna Rita!

Atelie Donna Rita

No dia 28 saiu o resultado do processo de seleção de parceria do Ateliê Donna Rita e… Fomos selecionados! Fiquei mega feliz porque é uma  lojiinha que acompanho há anos e que me encanta demais, sempre adorei ver o carinho e o cuidado que tudo é feito… Ainda não tenho muitas informações, mas assim que tiver conto tudo direitinho pra vocês!

 

Agosto foi assim por aqui, e o seu, como foi? Espero que gostem do post e possam entender o tanto que foi um mês especial pra mim… Agora é a sua vez de me contar o que teve de mais especial no seu mês!

11 Comentários
04 09 2017

Coletivo Fotográfico: Rotina + Flatlay

Rotina e flatlay - Coletivo fotográfico!

Há tempos que eu sentia falta de um projetinho fotográfico pra chamar de meu por aqui… Desde que o 8 on 8 queridinho deu seus últimos suspiros e morreu por falta de atenção, correria e mudanças na vida de todas as participantes. Eu sinto muita saudade de fotografar com um tema específico e botar a cabeça pra trabalhar e tentar fazer algo diferente.

No meio do mês passado perguntei quem mais animava de construir um projeto novo e várias meninas lindas apareceram: Liz, Sophia, Karina, Carol, Carol Machado, Lory e Verônica. Eu fiquei MEGA feliz de poder fazer parte de algo com todas elas. A ideia é a seguinte: Todo mês teremos um tema e uma “técnica”, tipo de fotografia ou coisa do tipo e teremos que postar as fotos na última semana do mês! Obviamente que já perceberam que esse post tá atrasado, não é? Eu explico: Semana passada foi semana de provas, última semana de férias da minha mãe e ou eu tava estudando ou resolvendo algumas coisas com ela. Por incrível que pareça agosto passou muito rápido por aqui e quando vi já tinha perdido o prazo.

Explicações e desculpas dadas, vamos à este post: O tema do mês de Agosto foi rotina e a técnica o Flatlay. Tenho uma super dificuldade com flatlay porque sempre idealizo um fundo branco que não existe na minha casa ou um fundo de madeira que também não existe na minha casa. O tema não foi dos mais fáceis pra mim também, principalmente no meio de um mês que teve mudança de rotina – No próximo post eu conto melhor! – mas foi um desafio delicioso e acho que acabei gostando do resultado. Estou ansiosa pra ver o post das outras meninas!

Rotina e Flatlay : Coletivo Fotográfico – Agosto

Rotina e Flatlay - Manhã
O dia começa sempre bem devagar por aqui: normalmente levanto, faço um café com leite, as vezes como alguma coisinha e fico um tempinho mexendo no celular e esperando um tempinho pro Tico e Teco começarem a funcionar. Já falei por aqui o tanto que sou lenta pela manhã?

Rotina e Flatlay - Home OfficeCérebro funcionando devidamente – ou quase – começa meu momento Home Office. Pego meu Bullet Journal – que já está com as tarefas do dia listadas desde a noite anterior- e começo a fazer tudo que posso fazer em casa. Se tenho só coisas do blog/faculdade pra fazer costumo ficar no sofá mesmo com uma cobertinha; Se tem algum trabalho de fotografia pra editar gosto de ficar na mesa da sala(mas nem sempre, hahah). A garrafinha tá ali por ser minha companheira diária: Bebo pelo menos 2 dela por dia. Ainda quero comprar uma garrafa de 1L que não seja de plástico, mas por enquanto fico com essa mesmo.

Rotina e Flatlay - Hora de sair!Pouco depois de almoçar, é hora de sair – E na foto coloquei um bando de tranqueiras que uso nos dias mais animados porque quando não tem ânimo é um rímel e um batom e fim. Os colares e anéis estão sempre presentes, mesmo se eu estiver indo só ali na padaria hahah. A lente de contato tá lá em cima porque escolhi registrar um dia que tem curso de fotografia – e aí vou de lente porque fotografar de óculos me incomoda. Tô feliz que tenho lembrado mais de passar protetor solar pelo menos no rosto. Achei essa foto totalmente propaganda, as marca tudo já podem me contratar ok? Hahahah

Rotina e Flatlay - Curso de Fotografia!A mudança de rotina desse mês fica por conta desse tópico: Meu pai “me deu” (estranho falar assim) um curso de fotografia! Agora duas vezes por semana saio logo depois do almoço e vou aprender muito sobre fotografia! Tem sido incrível. A câmera que uso pro curso é a que estava sendo usada pra fotografar então a Pentax lindinha fica ali representando ela. E meu caderno, gente… Eu tô apaixonada pelo meu caderno.

Rotina e Flatlay: UFMG!
Saio do curso de fotografia e vou direto pra UFMG – pra quem não sabe, estou no 2º período da faculdade de Letras! Ali estão minha gramática só pra representar o curso, já que esse semestre não uso muito, o caderno – 200 folhas dura só 1 semestre, a história de “na faculdade você vai escrever pouco” não funciona pra mim!-  meu BuJo de estudos (achei melhor separar assim, querem posts sobre?) e itens básicos de sobrevivência: carteirinha da faculdade, celular e echarpe pro frio da UFMG hahahah

Rotina e Flatlay - Volta pra casaVolto pra casa de van a noite, e esse normalmente é um momento de relaxar e dar uma descansada. Normalmente uso a echarpe como uma cobertinha e volto lendo um livro ou ouvindo música e mexendo nas redes sociais. Vez ou outra também deixo tudo isso de lado e vou conversando com a galera da van!

Rotina e Flatlay - hora de dormir!Chego em casa bem tarde e normalmente ainda vou assistir um filme ou ler blogs ou alguma coisa do tipo. Já na hora de dormir tiro a lente, lavo o rosto, escovo os dentes e vou vestir um pijama – que coisa difícil foi escolher um pijama; quer me deixar feliz com um presente? Me dê um pijama. Eu amo pijamas. Aproveito e quando deito pego meu BuJo, vejo o que foi feito ou não naquele dia e monto minha programação do dia seguinte. E podem me julgar, mas adoro o cheirinho desse óleo “sedutora” da Paixão e costumo passar antes de deitar. O cheiro do Bálsamo da Lua, da Pachamama, também é um dos meus preferidos e me acalma muito quando passo antes de dormir.

Essa é a minha rotina! Me digam: vocês fazem (ou usam) alguma coisa parecida? Como é a rotina de vocês?
E o que acharam dos meus flatlays? Sempre fico babando nesse tipo de fotos no pinterest mas nunca tinha gostado do resultado das minhas tentativas de fazer… Dessa vez foi diferente!

Não se esqueçam de visitar o blog das outras meninas para conferir as fotos delas desse mês:

Lizpector | Sweet Caroline | My life as karina| Ei Carol| Dá um zoom | Drawn wings | Sincerely, Ronnie

13 Comentários