viagens

5 de fevereiro de 2019
Pôr do Sol em Nova Viçosa - por A Menina da Janela - Laura Nolasco

Começamos o ano por aqui pondo o pé na estrada – eu, obviamente, não poderia ficar mais feliz com isso. No dia 2 de janeiro acordamos, demos um pulinho na cachoeira lá no sítio e logo depois do almoço saímos eu, João e os pais dele – a meta no primeiro dia era chegar em Itambacuri, uma cidadezinha de Minas que fica entre Governador Valadares e Teófilo Otoni.

Já tínhamos reservado uma pousadinha lá só pra dormir, já que a viagem é longa -12/13 horas – e o calor não deixa a gente em paz nem por um segundinho. Já tínhamos dormido na mesma pousada há dois anos atrás, quando fomos pra Nova Viçosa também, mas dessa vez o calor castigou mais e praticamente não dormimos… Mas só de dar uma pausa, comer, sair do carro e principalmente tomar um banho geladinho já ajuda muito hahahah…

Dia 3 acordamos no horário que o café da manhã começava, comemos e saímos, agora para o destino final: Nova Viçosa, na Bahia. Meu sogro tem uma casa lá com os amigos e todo fim de ano vão todos eles mais as famílias e amigos… uma quantidade de gente suficiente pra movimentar a cidade e ocupar as pousadas todas hahahah.

Quando chegamos já fomos correndo pra praia matar o calor e a saudade do mar… Eu nunca me lembro o quanto amo o mar até entrar nele de novo. A partir daí a gente entrou no ritmo da cidade e da casa: acordar cedo todo dia (calor e barraca… até eu acordo cedo naturalmente hahahah!), ir pra praia, voltar pra casa, almoçar, deitar na varanda, brincar com as crianças, jogar, ler, cochilar, tomar picolé… Até o sol chegar na marquinha da parede (a criançada da casa fica vigiando! É a hora que o sol da Bahia já não está tão forte) e todo mundo volta pra praia, vê o pôr do Sol (que é sempre um espetáculo diferente por ali), toma banho de mar…

Nesse momento também sempre tem uma galera que vai jogar volei (quando a maré tá alta) ou futebol (quando a maré tá baixa e forma um “campão” na areia…), adoro isso de até as brincadeiras serem guiadas pela lua/maré ❤.


Depois disso todo mundo volta pra casa, lancha, começa a fila pra tomar banho – enquanto uns tomam banho os outros jogam, cantam, dançam, batem papo… Vira aquela montoeira de gente na casa arranjando alguma coisa pra fazer pra passar o tempo. Mais tarde os grupinhos vão saindo pra cidade pra comer, andar na feirinha (comer churros!), tomar uma cachacinha do Seu Bibi – um senhorzinho muito gracinha de lá… Várias vezes fomos pra praia de noite e ficamos deitados na areia vendo o céu, que é fantástico de lá – dá pra ver a via láctea e contar um tanto de estrelas cadentes.

A rotina se repete assim e os dias parecem infinitos… Esse ano também teve a festa de 40 anos(!!!) da casa, então decoramos a casa com coisas que fazem parte da história, teve vídeo, muita música, cachorro quente e bolo de aniversário! hahahah… foi ótimo!

Fiquei na dúvida sobre fazer esse post, afinal, não tem muito o que mostrar e até queria ter sido mais blogueirinha – até tinha planejado fazer algumas fotos, mostrar algumas coisas específicas… mas lá só conseguia viver o momento. Resolvi trazer porque foram dias deliciosos com pessoas que adoro, então merecem ficar marcados aqui com esse compilado de fotos e relato rapidinho…

Pra fechar, umas fotozinhas do último dia lá – minha sombra se despedindo do mar, de um açaí delicioso que rolou e tinha “só” 300mL apesar da foto fazer parecer gigante… E do pôr-do-Sol de volta em Minas, quando a gente se perdeu numa estrada de terra perto do sítio e viu esse espetáculo de pertinho da Serra do Gandarela ❤. Agora é a vez de vocês me contarem: como foram as férias ou o início de ano por aí? Também tiveram a sensação de que janeiro foi eterno?

Você também vai gostar

    Melhores memórias de viagens
    4/52 – Melhores memórias de viagens
    Blog Day – 2018 e seguimos a tradição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 Comments

  • Taís

    Que delícia de post, Laura! Esse relato também me lembrou um pouco das minhas férias de verão na infância no litorial de SP. Os dias pareciam infinitos e como era gostoso viver cada um desses momentos. Teu post me transportou pra memorias bem agradáveis. E que vontade de conhecer a Bahia!

    Beijos :*

  • Samanta

    Colocar o pé na estrada é a melhor coisa não é mesmo? Eu adoro principalmente com as pessoas que eu mais gosto. Eu sinto tanta falto do mar, as vezes penso em lagar tudo e ir morar lá por perto, já imaginou acorda todo os dias com o mar do lado, o povo que mora em praia não sabe a sorte que tem, e eu queria ter. Amei.

    https://www.dosedeestrela.com.br/

  • Fernanda Lima

    Que artigo bacana, realmente é um dos melhores blog que sou seguidora. Você sempre está trazendo novos textos com muitas informações e dica sensacionais.

    Parabéns!

    Beijos💋 ..

  • Alê

    Amei que o título do post é “a viagem que parou o tempo” pq como vc disse, vc estava vivendo o momento, conectada à natureza, observando seus ciclos e dá mesmo essa sensação de ter parado o tempo, no sentido de ter aproveitado ao máximo cada minuto. Estar 100% presente, coisa incomum nos dias atuais e como a gente precisa disso neh? Eu tive um momento assim numa viagem que nunca postei no blog, mas foi esse sentimento de estar MUITO feliz. Foi numa praia tb. Quem sabe um dia escrevo sobre isso. Beijos.