06 11 2018

Seguimos de mãos dadas

Ninguém solta a mão de ninguém - por Laura Nolasco

Ô mesinho traiçoeiro que foi esse outubro, hein? Pela primeira vez desde que comecei a me organizar com o bullet journal e com o planner algo conseguiu me fazer perder completamente as estribeiras e quando percebi já estava há dias sem nem mesmo abrir o planner e me culpando muito por deixar o planejamento, organização, criação, tudo o que batalhei tanto e me me orgulhei tanto por conquistar, de lado.

O creative journal foi abandonado também e só rolou uma página no mês inteiro, os projetos foram esquecidos, parei de me exercitar como tinha conseguido fazer por um mês inteirinho. Todo o esforço foi por água abaixo e tudo o que eu queria durante todo o mês era me esconder debaixo da coberta e não sair nunca mais. Até a faculdade se tornou algo difícil e que eu evitei em todos os momentos que pude.

Conversando com uma professora na aula definimos que o mês foi violento. Eu não tenho palavra melhor: a gente sentia o cheiro do ódio no ar e de repente estávamos temendo pelas nossas vidas, pela nossa liberdade, pelos nossos irmãos. A briga, que até pouco tempo tinha apenas as redes sociais como ring, de repente invadiu até mesmo nossa casa e nossas famílias. Fiquei assustadíssima ao ver gente que esteve ao meu lado durante toda minha vida defendendo o indefensável.

Minha escolha foi me afastar: ficar perto de gente sem senso de humanidade e que não abre os olhos pra se preocupar com o outro (e não estamos falando de um outro distante – o outro que está sentado ali na mesma mesa, comendo da mesma panela) nunca foi uma opção. Forçar laços com gente que não consegue se colocar no seu lugar, entender o próprio lugar na sociedade e perceber que tal posicionamento fere e mata as pessoas que diz amar… não dá.

Mas não é por isso que me afastei do blog, obviamente. Inclusive, esse momento foi incrível para ter certeza de que estou acompanhando e dando audiência para as pessoas certas, de que fiz amigos certos, de que conheço um mar de pessoas incríveis. Foi um momento de me orgulhar mais que nunca da minha família e dos amigos que fiz aqui na blogsfera(e na vida) e que acompanho lá no instagram ou no facebook. Momento de admirar ainda mais profundamente um certo moço que chamo de amor.

Me afastei do blog porque falar de qualquer outra coisa parecia futilidade, parecia sem importância, e ainda não tinha digerido tudo o suficiente para conseguir falar como faço agora. Antes tudo parecia pesado demais. E não que tudo tenha se resolvido magicamente – as consequências desse ódio ainda serão sentidas e só pensar nisso me dá calafrios, mas já tive tempo suficiente pra respirar e pra unir forças, entender melhor tudo, confiar de novo na resistência.

E, como diz o belíssimo desenho da tatuadora mineira que marcou tão fortemente esse momento tão crítico, não soltei a mão de ninguém: Agora de forças renovadas- depois de muita vela, incenso e banho de cachoeira- estou aqui de volta para continuarmos construindo nossa corrente de amor. Para continuar criando, compartilhando alegrias, mostrando os momentos leves da vida, fazendo arte, vendo a beleza das coisas… Fazendo da vida poesia. Afinal, essa é nossa força… E eles não suportam poesia.

6 Comentários
Tags: ,

6 Comentários em "Seguimos de mãos dadas"

  1. Regina disse:

    ♡♡♡♡♡♡♡♡♡

    [Reply]

  2. Taís disse:

    Me daqui um abraço, Laura <3
    Nesse momento tão difícil que estamos vivendo, em meio a tantas depcepções, foi lindo ver que eu tb estou roadead de muita gente incrível, que construi essa rede de amigos tanto pela internet e fora dela de pessoas muito fodas.. e que isso tudo só me fez admirá-las ainda mais. E você, com certeza é uma delas.
    Continuemos todos de maos dadas!

    [Reply]

  3. Carol Rocha disse:

    Ai Laura! ♡
    Acho que todas nós compartilhamos dos mesmos sentimentos e medos em meio a tanta violência e ódio que descobrimos que nos rodeia né? Essas eleições mexeram demais comigo e com a minha saúde mental. E com certeza a rede que eu acabei construindo, tanto na vida real quanto na virtual me ajudou muito. Você, a Luly, a Liz, e tantas outras mulheres que eu acompanho na internet foram essenciais para que eu me mantivesse de pé durante essas eleições. São pessoas que eu já admirava antes, mas que agora é um sentimento infinitamente maior. ♡ Mesmo semn saber, você foi luz em dias de escuridão pra mim e por isso sou muito grata a você.
    Seguimos de mãos dadas. ♡

    [Reply]

  4. Me daqui um abraço, Laura <3²
    Fiquei um tanto restrita no 1°turno dessas eleições… Não tive grandes problemas em casa… No 2° turno, na Pós-graduação eu tive uma pequena amostra de crueldade com discurso de ódio desfarçado de "boas intenções…". Apesar de estar rodeada de pessoas boas também eu acabei lembrando daquela canção "Tem gente que está do mesmo lado que você. Mas deveria estar do lado de lá.". Que não nos falte esperança no finalzinho de 2018 e no começo de 2019.

    BJOS.
    https://ladomilla.blogspot.com/

    [Reply]

  5. Texto forte e bonito. Realmente foi um ar de violência espalhado por todo o país!
    Falta amor, falta respeito, falta tolerância. Falta as pessoas respeitarem a opinião e a vontade de cada um. Falta pensar mais positivo e torcer pelo próximo. Falta mais amor pelo país… Falta aprender a amar o próximo apesar de…

    Mas a gente aprende… a gente vai aprendendo. Enfim, que bom que voltou! Fico feliz :*

    [Reply]

  6. Tany disse:

    Por acaso, conheci teu blog nesse momento de silêncio pois assim como você não aguentava e nem tinha o que falar… só queria ficar quieta lendo coisas que me fizessem bem. É muito difícil ter energia e depois de domingo passei semanas sem saber o que fazer, sem querer fazer nada e me culpando até lembrar que se eu não cuidasse de mim não teria como cuidar de quem eu amo.
    Não sei como vai ser depois disso tudo, confesso que estou com muito medo, mas me sentindo um pouco mais forte porque percebi que não podemos parar de lutar. Temos que ficar juntos que um dia nós vamos ganhar. Temos que ganhar.

    Fica bem. <3

    [Reply]