01 08 2016

Porque o coletor não é só sobre sangue

Coletor menstrual- Não é só sobre sangue!

Um dos posts de maior sucesso aqui no blog, e também um dos meus preferidos, é o “Tudo sobre coletor es mentruais” (se você não leu, talvez seja legal ler antes de começar esse aqui!) e algo que muitos vem me pedindo ultimamente é pra falar um pouco mais sobre feminismo aqui. Bom, pode ser difícil enxergar assim “de cara”, mas essas duas coisas estão diretamente relacionadas, e é sobre isso que vim falar hoje. Podem se preparar… com esses dois temas, vocês não acham que esse texto vai ser pequeno não é?

Bom, confesso que estou até meio perdida: é tanta coisa a dizer que mal sei por onde começar, mas vamos lá, do começo.. muito antes de coletor menstrual, muito antes de feminismo.

Há duas ideias muito enraizadas em nossa sociedade e até mesmo em nós, mulheres:

A primeira delas é de que a menstruação é algo sujo, nojento, algo que deve ser escondido. Conheço garotas que esconderam das próprias mães por anos que tinham menstruado por vergonha. Conheço garotas que ainda hoje escondem dos pais o sangue que vem todo mês; é como se fosse um crime menstruar, ninguém irá te ver da mesma forma, você agora é uma mulher e precisa se cuidar, precisa se esconder. “Xiu, não deixa ninguém ouvir o barulho da embalagem do absorvente! Hey, não usa essa calça que vai marcar! Toma essa bolsinha, guarda os absorventes aí que não corre o risco de você mexer na bolsa e alguém vê-los!”. Vamos lá, mulheres, sejamos sinceras: todas nós já passamos por alguma dessas situações. Todas nós já perguntamos baixinho pra amiga se o absorvente estava marcando. Já perguntamos baixinho no ouvido de outra mulher se ela tinha um absorvente pra emprestar. Já morremos de vergonha porque ao puxar algo da bolsa com pressa um absorvente maldito voou de lá de dentro. E quando o passeio da turma era um clube, “não posso”, “tenho que visitar minha tia”, “minha mãe não deixa”. Até mesmo a palavra menstruação parece suja: “Tô naqueles dias”. E não só o sangue da mulher é sujo. É como se não pudéssemos, em hipótese alguma, dizer a palavra vagina. Uma mulher amamentando na rua só quer exibir os seios, uma alça de sutiã caindo acidentalmente é, óbvio, uma maneira de se exibir. Quantas manchetes de “ator famoso ‘paga cueca’ você já viu na vida? Agora mude essa palavra para ATRIZ. O corpo da mulher é sexualizado em todas as situações – até mesmo no ato materno de amamentar.

E aqui é difícil separar onde termina uma ideia e começa a outra, mas eis a segunda: Nosso corpo é algo que devemos guardar para o homem. O hímen é a maior prova disso: ele deve estar lá na sua primeira relação sexual, senão o homem vai achar que você é “impura”. A única relação que você deve ter com sua vagina é a de guardá-la para o homem ideal. Tocar-se? Jamais! Você não deve conhecer seu corpo, seu prazer – eles estão ali unica e exclusivamente para servir ao homem. Masturbação não é coisa de mulher decente, não é coisa de mulher. Você não pode se estimular porque senão vai querer transar, e mulher não pode querer. E não pode colocar nada lá dentro, “vai alargar” e aí o homem vai sentir menos prazer. Tocar seus seios? Claro que não, coisa de puta! Porque sim, mulher “alarga” e a vagina só serve pra dar prazer ao homem, não é?  “Mulher que é mulher não tem desejo, não tem prazer. Mulher que é mulher não tem sexo”. A mulher que todo mundo respeita e admira é a mãe – aquela que, erroneamente – Mãe também é mulher! – enxergamos como assexuada. A consequência disso? Temos medo do nosso corpo. Medo da “impureza” medo do desejo, nos sentimos culpadas pelo prazer. Nem adianta dizer que esse é um tabu de gente antiga:  Eu mesma, no post que citei lá em cima sobre o coletor, enfrentei uma grande dificuldade: “Mas eu vou mesmo escrever vagina aqui no meu blog?” – Não que eu achasse que tinha algo errado nisso, mas me parece estranho, agressivo, sexual. Vagina? Não. Isso aí é melhor fingir que nem temos, nem sabemos o que é. A gente só encontra essa palavra em site de conto erótico ou nos textos quadradões sobre saúde.
Coletor

“Tá, Laura, entendi… nós somos ensinadas a odiar nosso sangue, guardar e temer nosso corpo… mas onde entra o coletor nessa história?”

O coletor entra aqui de diversas formas, mas acho que uma frase resume bastante do que vou dizer:

O coletor ajuda a mulher a se tornar dona de si, a pertencer a si mesma. 

Vamos lá, aos poucos: você aí, que está lendo agora, sabia que é possível tocar o colo do seu útero? Sim, você mesma, assim, facinho, sem malabarismo nenhum. Eu não sabia disso até precisar decidir o tamanho do meu coletor- e no já citado grupo sobre coletores percebi que não fui só eu. A lavagem cerebral é tão grande que a maioria de nós não ousa colocar o dedo “lá”, e na maioria das vezes, para aquelas que ousam, não há curiosidade nenhuma de entender nada dali de dentro. Para a grande maioria de nós, a vagina é um grande buraco negro que não precisamos entender. Mas ela é uma parte de nós, é parte do nosso prazer. Não estou dizendo que somos todas obrigadas a virar experts em vaginas e saber o nome de cada vaso sanguíneo que passa por ali, não… É só que você já pensou no quanto pode ser bom se permitir ter curiosidade sobre seu corpo? Já pensou no quão poderosa você pode se sentir se, simplesmente, souber o que te dá prazer? Já pensou que não há nada de vergonhoso no sangue que sai de você todo mês? Não é nojento, não é sujo, não fede, nada disso – mas isso não é assunto pra esse post, já foi falado naquele que citei lá no primeiro parágrafo desse texto. O coletor nos ajuda aqui é a conhecer nosso corpo, nosso sangue, nosso ciclo – sim, um ciclo, apenas. A lua tem o dela, nós temos o nosso. Nos dá liberdade, nos faz perceber que não há problema algum em termos uma relação íntima com nosso próprio corpo – muito pelo contrário, que há só vantagens. O coletor não é “uma fraldinha que você cola na calcinha e pronto”. Ele não muda o cheiro, ele não muda a cor. Você precisa se conhecer melhor para usá-lo: se tocar, se sentir. E ao usá-lo, você se conhece melhor: seu cheiro, sua cor, sua textura, seu sangue.

Coletor Me Luna Classic M Roxo

Outra coisa curiosa sobre o coletor: foi só eu começar a usá-lo e falar sobre ele que amigas que morriam de vergonha até de pedir um absorvente começaram a conversar sobre menstruação comigo. Amigas perguntando como funciona, amigas dizendo que tem medo e o motivo, amigas descobrindo, como eu, que podem tocar o próprio colo do útero (e sim, isso já me rendeu altas gargalhadas também – Já recebi mensagens no meio da noite com “Laura, eu achei o colo do meu útero!!!!). Já estive sentada numa roda no meio da escola com garotas falando do próprio ciclo e me pedindo ajuda pra entender como escolher o seu coletor. Já teve amiga da fulana que é vizinha da minha prima me chamando pra perguntar “mas a gente consegue colocar um dedo com o coletor lá dentro pra tirar?”. Isso tudo pode te parecer estranho, mas para mim é lindo: é o corpo da mulher deixando de ser tabu para ela. É mulher tendo curiosidade sobre seu corpo e liberdade para explorá-lo. É mulher falando de sangue, de menstruação, de vagina em alto e bom tom, pra quem quiser ouvir. É mulher se libertando das amarras invisíveis que a impediam de conhecer o prazer. É muito mais que a frase “o sangue não é nojento”, é mulher percebendo isso na prática: tocando-o, sentindo seu cheiro e vendo que não, que não tem nada de errado ali. Que não tem nada que precise ser escondido, cochichado. Que sangramos todo mês sim, todos sabem disso, porque tentar esconder?

O coletor não é só sangue porque é uma forma da mulher se conhecer, se entender, se sentir. E uma mulher que conhece a si, ao seu corpo, ao seu prazer, é uma mulher empoderada.

Gostou do assunto? Quer aprofundar um pouco mais? aqui vai uma listinha de links me inspiraram pra esse post e que vale a pena ler:

Das dificuldades de fotografar quando se tem um gato
É isso! E o post termina com uma foto de reflexão sobre o quão difícil é fotografar qualquer-coisa-que-não-seja-um-gato quando você tem um gato… Amelie mandou lambidas pra todos! Espero que tenham gostado do texto, que eu tenha conseguido levantar que seja uma pontinha de curiosidade em cada leitora, ou de compreensão. Vou adorar ler a opinião de vocês sobre o texto, sobre o coletor, sobre autoconhecimento… Sobre o que quiserem e se sentirem a vontade pra falar, então… comentem! ❤

40 Comentários

40 Comentários em "Porque o coletor não é só sobre sangue"

  1. Kamylla Prado disse:

    Coletor é outra vida, ainda mais para as moças que tem um fluxo muito intenso. O meu “estragou”, mas logo logo pretendo comprar outro. Ótimo post. É bom termos mais divulgação de tal meio.

    beijos.
    vidaemserie.com

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Kamylla Prado, Hahah, não é?
    Porque estragou? Esqueceu ele fervendo? Hahah… que pena!
    Compra sim! Acho que não consigo mais viver sem o meu <3
    Beijos!

    [Reply]

  2. Larissa disse:

    Que post mais lindo Laura <3 sério, com certeza entrou pra listinha dos preferidos! Quando comecei a usar o coletor foi só amores, pra mim foi sempre muito fácil lidar e saber do meu corpo, admito que quando menstruei a primeira vez fiquei arrasada mas pq eu achava que ia ser criança pra sempre hausjsu ai cresci e vi que não mudei é nada, continuo igual mas com upgrades haha
    As primeiras vezes que conversei com outras mulheres sobre menstruação eu fiquei muito frustrada, pq sempre fui curiosa, pegava na mão mesmo e nunca achei nojento (só o cheiro com o absorvente que né, nada agradável) e ouvir um "que nojo! Não acredito que fez isso" me deixou muito triste, me senti fazendo algo completamente errado, que eu deveria odiar aquilo e nem tocar no assunto. Bem, sorte a minha que isso nunca me afetou e continuei me conhecendo mais e mais hehe
    E fico muito muito muito feliz quando consigo mudar um pouquinho que seja desse pensamento e ler textinhos maravilindos assim que vão ajudar muitas manas por ai!

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Larissa, Obrigada Lariii!
    Olha, somos bem parecidas então, viu? Eu nunca tive “nooojo”, tinha até curiosidade, mas o cheiro e o desconforto do absorvente me faziam odiar!
    Também me assustei ao ver o tanto que muitas mulheres tem nojo, o tanto que acham errado falar sobre…
    Fico feliz demais que tenha gostado <3
    Beijos!

    [Reply]

  3. Liza disse:

    Foi exatamente isso que pensei quando comecei a usar o coletor, auto conhecimento. Você nota detalhes que não faziam parte da sua vida, meu colo é baixo ou alto, meu fluxo é maior em tais dias. Coisas que fazem toda diferença pra nós mulheres.
    Obrigada pelo lindo texto e parabéns

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Liza, Sim sim, é incrível o tanto que a gente passa a se conhecer melhor né?
    Obrigada,
    Beijos!

    [Reply]

  4. Amei seu post, e foi tão esclarecer e libertador. Me decidi, vou comprar meu coletor, vou conhecer melhor meu corpo, não tem nenhum mal nisso.

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Simone benvindo, Owwwn, fico feliz que tenha gostado do post e de ter ajudado a tomar essa decisão <3
    Se quiser conversar mais sobre, só chamar!
    Beijos!

    [Reply]

  5. Talita disse:

    adorei o post!
    Eu tô louca pra comprar um coletor pra ficar livre de absorvente porque é uó :s

    Beijos s2

    Ta
    CEREJA ROCKS

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Talita, oba, fico feliz que cê tenha gostado, Ta!
    Compra siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim é tudo de bom!
    Beijos!

    [Reply]

  6. Paula Brasiel disse:

    Adorei o texto Laura! Passei por isso quando falei do coletor para a minha mãe! Ela falou com tanto nojo daquilo…é muito difícil mudar as mentalidades! Mas aos pouquinhos vai!

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Paula Brasiel, obrigada, Paula!
    É assim mesmo… Com muita pesquisa, cê consegue mostrar pra ela que é MUITO mais higiênico, saudável, que não junta bacterias igual o absorvente, que não tem produtos quimicos que podem causar alergias… Aos pouquinhos, vai sim!
    Beijos!

    [Reply]

  7. camila disse:

    Hoje tem muito esse mito de que é vergonhoso menstruar… Antes morria de vergonha de comprar absorvente mas hoje, compro e ainda brinco com eles kkkk As pessoas olham feio como se só eu menstruasse! Mundo maluco …
    Ótimo ter escrito esse post, sério <3

    http://www.chaeamor.com

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @camila, Siiiiiim! Morria de vergonha de comprar absorvente também, era tipo “olha pra outro lado e finge que não é você que tá comprando”… Um saco! Vergonha boba né? Algo super natural!
    Beijos!

    [Reply]

  8. Wanila disse:

    MAS QUE POST GENIAL!!! Sério, eu nem sei o que comentar, porque já tô copiando esse link e mandando pra todas as minhas amigas. <3

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Wanila, Obrigadaaaa moça <3
    Fico feliz que cê tenha curtido!
    Beijos!

    [Reply]

  9. liz disse:

    que post maravilhoooso <3

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @liz, Obrigada ❤
    Beijos!

    [Reply]

  10. Você nem sabe o quanto eu amei esse post! Realmente, todas as coisas que você citou ali em cima são muito verdadeiras. Minha mãe sempre comprou umas blusas mais compridas pra mim, pra tampar a bunda e esconder o absorvente “naqueles dias”. Porque falar “nos dias de menstruação” é como se fosse um pecado né?
    Outra coisa que eu tinha muita vergonha de fazer logo quando comecei a menstruar, era comprar absorvente. Minha mãe já não menstrua há anos, então quem tinha(tem) que comprar é sempre eu. Eu meio que escondia entre as outras mercadorias, e sempre ia de bolsa no mercado pra poder colocá-lo dentro dela, porque se carregasse na sacolinha alguém na rua poderia ver. Que besteira né? Ainda bem que agora sei que menstruar não é um crime, não é motivo de vergonha e sim de orgulho!

    Adorei o texto e até compartilhei no meu Twitter.

    Um beijo,

    http://www.janainebagatini.com/

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Janaine Bagatini, Que bom que gostou moça, fico feliz!
    E sim… falar de menstruação, menstruar, manchar alguma coisa, comprar absorvente… São todas coisas tão simples, tão parte de nós, tão naturais… E a gente com essa bobeira!
    Com o coletor então, dá até vontade de falar sobre e de fazer todas as mulheres do mundo conhecerem e experimentarem pra ver o quão maravilhoso é!
    Obrigada pelo comentário,
    Beijos!

    [Reply]

  11. Isis Tomie disse:

    Sim, o corpo da mulher é um tabu imenso, e aos pouco vamos tirando essas amarras que a sociedade impôs!
    Uso coletor menstrual a mais de 1 ano, e super indico, mesmo com ares de reprovação inicialmente, de “como vou ficar colocando um negócio ‘lá dentro’ todo mês”, rs. O mais curioso é que comecei a usar “escondida” da minha mãe (mesmo tendo 28 anos e com 1 filha já), e num dia que ela me viu fervendo o coletor, falou que era muito nojento. Fiquei com cara de paisagem, porque tem coisas muito mais nojentas na vida, não é mesmo? rs

    E nos últimos meses, minha relação com o coletor mudou um pouco, pois coloquei o diu de cobre, ou seja, estou a zero hormônios sintéticos no corpo. E vi que a menstruação foi para outro patamar, pois, agora sim, eu sangro, literalmente. Tenho que ficar com o copinho de 4 a 5 horas somente durante o fluxo mais intenso, porque ele enche e vaza!

    Enfim, amo o meu coletor, amo meu corpo, e sim, devemos falar sobre menstruação (com todas as letras, sem parecer o “aquela que não deve ser nomeada”).

    Beijos!!

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Isis Tomie, Siiim!
    Eu também estou usando há 1 ano! E poxa, que tenso isso de começar a usar escondida… Eu tava com 17 anos e minha mãe deu um super apoio, mas já tem uma mentalidade bem diferente né… hahah <3 E juro, hoje não acho NADA nojento... Acho lambrequento porque as vezes faço bagunça na hora de tirar, mas nojo? Nenhum!
    E que máximo isso! Nunca tomei anticoncepcional nem nada do tipo, então sei bem como é isso hahahah... no segundo dia também preciso esvaziar com 4 horas porque vaza!
    Obrigada pelo comentário <3 <3 Devemos sim, não há nada de errado em falar sobre o nosso ciclo!
    Beijos!

    [Reply]

  12. Helena Krauel disse:

    Já te falei que vou criar um post sobre isso também, não sobre coletor, mas sobre menstruação. Precisamos mostrar para o mundo e para as próprias mulheres que não somos nojentas! Que do nosso corpo tem poesia todo o mês! Obrigada sobre esse post! Tava querendo muito saber sobre o coletor por conta do lixo que os absorventes fazem, logo quando for numa ginecologista eu vou comentar sobre ele com ela. Obrigada por criar um post desse!

    Sucesso, beijos! Com carinho, Menina Borboleta.

    http://meniborboleta.blogspot.com.br/

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Helena Krauel, Hahaha siim, quero demais ler esse post!
    É incrível, e pelo que já vi de você imagino que vai ser um post bem forte e maravilhoso, quero!
    Se quiser conversar mais sobre o coletor, só chamar lá no chat <3 E tem um grupo lindo sobre também, se quiser eu te coloco!
    Beijos, obrigada pelo carinho <3

    [Reply]

    Sol araújo Reply:

    @Laura Nolasco, Amei o post, estou me apaixonando cada vez mais… Meu marido super me apoiou e quer me ver feliz…. Sei que as mulheres da minha familia tambem vao falar coisa desse genero : ” que nojo”, e etc… Mas nem ligo, comprei o meu e to loca pra ele chegar… E tem mais meu esposo é diferente dos outros homens ele super entende a necessidade de eu me conhecer e faz questão de me dar prazer e o mesmo cuidado que eu dou pra ele….

    [Reply]

  13. luana disse:

    Que texto maravilhoso!!! Abriu muito os meus olhos pra esse assunto. Há um tempo eu já venho pensando em usar o coletor menstrual e o seu texto me fez querer ainda mais usar e conhecer o meu corpo. Obrigada! Vou com certeza pesquisar ainda mais sobre o assunto. Beijão <3

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @luana, Aíii, obrigada <3 <3 <3
    Fico feliz demais de ler isso, de verdade! Pesquisa sim, o coletor faz um bem absurdo pra gente <3
    Se quiser conversar mais sobre, já me tem no face né? Só chamar!
    Beijos!

    [Reply]

  14. Estou de queixo caído com essa postagem. Concordei com tanta coisa e me perguntei o motivo disso; por qual motivo que menstruação é tão “feia” como dizem ser? Claro, não é das coisas mais confortáveis da vida (em questão de dores e tal), mas ainda sim, por que tratam de forma tão “rude” e nós concordamos com isso? Não sei.
    Não sei de verdade.
    Não fazia ideia sobre o colo do útero e sobre esse coletor. Gostei muito que você tenha tornado isso um assunto tranquilo e salvo as curiosidades de muitas. Legal que esteja mudando essa visão ao seu redor também.

    Beijos,
    Bi.

    http://www.naogostodeunicornios.com

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Bianca Geisler, Fico feliz que tenha gostado!
    Realmente, fazem da menstruação muito pior do que ela é!
    Fico feliz de levar essa descoberta e essa percepção pra você ^^
    Beijos!

    [Reply]

  15. Bela disse:

    Se conhecer, se amar… É o primeiro passo para a vida da mulher. Porque será que mesmo no século 21, não ensinam essas coisas desde novinhas para as menininhas?! Ensinam elas que tem que ser princesas, intocáveis.
    Comecei a conhecer meu corpo com 13 anos, já que morava com meu pai e achei que ia morrer na primeira menstruação. Quando ia brincar na casa da vizinha, roubava absorventes da irmã mais velha da minha amiguinha. Você pode imaginar como é isso pra uma criança?
    É maravilhoso o que os coletores menstruais estão fazendo por mulheres que não sabiam nem que o xixi saia de lugar diferente do lugar de fazer ‘amor’.
    Adorei o post!
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Bela, SIIIIIIIIIIIIM. Nossa, que situação pessima 🙁 Realmente podia ser muito melhor e mais fácil!
    Hahaha siim… fico feliz que tenha gostado!
    Beijos! ❤

    [Reply]

  16. “E uma mulher que conhece a si, ao seu corpo, ao seu prazer, é uma mulher empoderada.” Guria, dá pra curtir mil vezes esse post? Chega a ser estranho em pleno século XXI, onde todo mundo se diz evoluído, moderno, cabeça aberta ter tanto tabu a respeito do corpo da mulher. O pior é ver pessoas jovens propagando discursos antiquados e repreendendo qualquer mulher que se intitule feminista ou que simpatize com o movimento. Com a maneira como tentam desmerecer uma causa justa. Quando dizem: “falar na internet é fácil, quero ver ir atrás dos direitos em um tribunal”, “fazer discurso não muda nada”. Mas são justamente textos como esse, que fazem a diferença. A questão é que não, não é fácil dar a cara à tapa para falar na internet, necessita de uma boa dose de coragem. E acho muito válido ter alguém com coragem dizendo para as mulheres que elas são donas do próprio corpo. Resolver problemas em um tribunal só resolve à curto prazo. Não muda a mentalidade de uma sociedade que ainda acha que mulher tem que se esconder. Não muda a mentalidade das mulheres que acham que merecem ser diminuídas. Mas discurso sim, movimentos sim. Acredito que as maiores mudanças ocorrem de dentro para fora, de baixo para cima. Não o contrário. Beijoos <3

    itiskimby.wordpress.com

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Kimberly Camfield, OBRIGADA POR ESSE COMENTÁRIO.
    Sério ❤ E sim… A gente resolve em tribunal se for preciso sim, mas dar a cara a tapa e discutir questões como essas são uma forma de prevenir e não de remediar né?
    Beijo!

    [Reply]

  17. Renata disse:

    No bom e comum português, você lacrou, Laura! srsrs É ótimo ver cada dia mais mulheres falando sobre feminismo, debatendo sobre feminismo, ensinando e discutindo o assunto, informando e chamando mais mulheres para entender e compreender o movimento. Afinal, feminismo engloba tudo que é empoderador, tudo que revela o respeito e igualdade pela mulher. Seu texto foi excelente em vários aspectos, não apenas informa sobre os pontos positivos sobre o coletor, mas traz diversos temas tabus que enfrentamos diariamente na sociedade patriarcal e machista. Seu texto (e os outros que você também fala do assunto), com certeza fez e fará ainda muita diferença para muitas mulheres e, no fim, é isso que importa. Uma rede de empoderamento, uma puxa a outra e, lá na frente, quem sabe, não precisaremos trazer mais ninguém para a luta, porque ela estará vencida.
    Parabéns pelo excelente trabalho e dedicação.
    xoxo

    [Reply]

    Laura Nolasco Reply:

    @Renata, Obrigada ❤❤❤❤
    Muuuuuito obrigada mesmo por esse comentário, me deixou muito feliz!
    Beijos!

    [Reply]

  18. Que post lindo, meu Deus! O mundo precisa conhecer ele por isso vou compartilhar em tudo quanto é canto! Muito obrigada pela ajuda, Laurinha <3

    [Reply]