27 10 2016

{Receita} Torta mousse de chocolate com morango

Torta - chocolate morango e massa de biscoito

Eu preciso aceitar que nem sempre vou ter as condições ideais pra fotografar uma receita. E não é por causa de fotos mais ou menos que uma receita de uma torta de chocolate com morango pra lá de deliciosa vai ficar de fora do blog, né? Tô aqui estudando formas de fotografar comida pra ficar melhor e tudo o mais, mas até lá vocês vão confiando na minha palavra quando as fotos não ajudarem muito. Aaah, e mudando de assunto rapidinho, antes que eu me esqueça: Se você gosta de tatuagens, tem um vídeo novo lá no canal sobre o assunto, corre lá pra ver!

Eu e João fizemos essa torta lá no sítio num dia bem nublado, e por isso a dificuldade com as fotos. Achávamos que só iríamos fotografar no dia seguinte a torta pronta, mas quem disse que a ansiedade pra experimentar deixou? Hahahah… Apesar das fotos mais ou menos, garanto: A receita é deliciosa! A gente adorou essas tortas com massa de biscoito: são super práticas, fáceis de variar e ficam incríveis!

Torta de chocolate com morango

Ingredientes:

_DSC0067

Massa:

-1 pacote de biscoito de maisena
-2 ou 3 colheres de sopa de manteiga

Mousse: 

-3 ovos
-200g de chocolate meio amargo
-2 colheres de sopa de açúcar
-1 lata de creme de leite
-1 pitada de canela (opcional)

-1 caixa de morangos para cobrir

Modo de Fazer:
_DSC0176

Massa:

No liquidificador, triture os biscoitos de maisena até virarem uma farinha. Lembre-se de deixar a manteiga fora da geladeira para que ela fique mole. Em uma forma de fundo removível, junte essa farinha de biscoitos de maisena e a manteiga e vá amassando com a mão e espalhando pela forma até que fique firme.
Depois, é só levar ao forno a 180ºC por 5 a 8 minutos – ela vai ficando douradinha e com um cheirinho bem gostoso! Deixe esfriar.

Mousse de chocolate:

Pra começar a mousse, bata as gemas(só as gemas! Reserve as claras!) até dobrar de volume e adicione o açúcar. Continue batendo até esbranquiçar!
Em banho-maria derreta o chocolate e, quando estiver morno ou frio, misture com as gemas. Acrescente também o creme de leite e continue batendo. Como viciados em canela que somos, colocamos também uma pitadinha de canela, mas é escolha sua!
Em outra vasilha, bata as claras em neve. Quando já estiverem no ponto, acrescente também à mistura e mexa com uma espátula pra incorporar. Daí é só jogar por cima da massa (Já fria!!!) e levar pra geladeira <3

Por fim, depois de algumas horas, quando a mousse firmar, é só fatiar os morangos e colocar por cima: fica lindíssima!
_DSC0182

Fácil assim, pessoal! Essa até hoje foi uma das receitas que mais gostei: a massa fica com um gosto “torradinho” e crocante, a mousse docinha e com sua textura deliciosa e os morangos geladinhos e mais azedinhos combinam de um jeito maravilhoso!

Não esquece de me contar aqui nos comentários o que achou da receita, ok? Aproveita e compartilha com os amigos! Se animar fazer a receita, que tal postar uma foto no instagram com a #Ameninadajanela? Vou adorar ver! E pra ver mais receitas deliciosas e simples como essa, é só ir na aba “Receitas” do blog!

5 Comentários
21 10 2016

Uma reflexão sobre o direito ao próprio corpo

Meu corpo, minhas regras- além do assédio

Dia desses rodou na timeline do Facebook um post com prints de uma conversa entre mulheres conversando sobre quererem cortar o cabelo mas o marido/noivo NÃO DEIXAR. Na legenda, apenas a frase “feminismo pra quê?”. Isso é o tipo de coisa que sempre me assusta e me faz perceber o quanto estou num lugar privilegiado da sociedade: No meu ciclo de amigas e conhecidas, o namorado não deixar você cortar o cabelo ou qualquer coisa do tipo é um ótimo motivo pra mandar ele pra China- falando aqui educadamente – e seguir a fila.

E aí você vê o comentário de uma mulher dizendo de forma que faz parecer natural que APANHOU do marido quando cortou o cabelo. Ela diz com todas as letras e com risadinha no final, achando bem natural e aconselhando a amiga a não fazer o mesmo. E aí seu mundo desaba.

Eu estou longe de achar que o machismo está perto do fim. Sempre estive. Por ser feminista e pesquisar muito sobre, ler muito sobre e ter contato constante com outras feministas, tenho acesso constante a números, a dados, a histórias que não me deixam ter toda essa esperança. Mas é  muito difícil ver uma mulher achar normal e aceitável apanhar do marido por cortar o cabelo- ou por outro motivo qualquer que seja- e não se assustar.

E nesse caso, ainda eram mulheres “muito distantes” de mim. Mulheres que não faço ideia de quem são, de onde são de que parte do país vinha. E aí eu entrei, por curiosidade e pra pesquisar, em um grupo sobre contracepção não hormonal. E aí, mais uma vez, meus privilégios foram esfregados na minha cara.

Eu namoro um cara que nunca cogitou fazer nada sem camisinha. Que me manda mensagem pedindo pra comprar quando ele não tem. E, apesar de saber que poucas das minhas amigas tem “coragem” de comprar camisinha – já falo mais sobre isso- muitas falam com todas as letras e deixam bem claro: ou é com camisinha ou não vai acontecer nada. Se o cara não quer usar camisinha, ele que procure outra.

Ao entrar nesse grupo, o choque número 2 – ou número 1, não sei exatamente a ordem-: dezenas de mulheres por dia falando sobre o namorado/marido/ficante não querer usar camisinha. Maridos que dizem que “parar o anticoncepcional é forçar uma gravidez”. Homens que ainda não entenderam que evitar uma gravidez não é missão só da mulher e que a camisinha é muito mais segura pros dois por não ter efeitos colaterais.

No grupo estão mulheres que tem consciência dos riscos do anticoncepcional (trombose, embolia pulmonar e outras coisas). Que vêem todos os dias casos gravíssimos e que QUEREM parar o anticoncepcional e procurar outros métodos, mas, ainda assim, não conseguem bancar isso com seus parceiros. E muitas que acham NATURAL o marido não DEIXAR ela parar de usar anticoncepcional. Mais uma vez, o homem exercendo poder sobre o corpo da mulher. Se sentindo dono. E muita gente achando natural. E muita gente não percebendo o quão abusivo isso é. Sim, se seu marido/namorado/noivo/companheiro não deixa você tomar uma decisão que só diz respeito ao seu corpo, este é um relacionamento abusivo.

Mas eu não vim aqui falar sobre relacionamentos abusivos, nem sobre cortes de cabelo, nem sobre anticoncepcional, nem sobre camisinha. Também não é sobre o privilégio que tenho por estar em um meio onde essas coisas já são consideradas absurdas. A minha reflexão aqui é sobre direito e PODER sobre o próprio corpo. E, pra isso, vou dar o terceiro exemplo e o que mais me assusta.

Nesse grupo que já citei, diversas mulheres relatam sobre as experiências delas ao pedirem para seus ginecologistas para pararem de tomar anticoncepcional. O erro já tá na primeira frase: pedirem. O corpo é da mulher e é ela quem deve decidir se vai ou não enchê-lo de hormônios. Mas ainda fica pior: pelo menos uma vez por dia, aparece por lá um caso absurdo de ginecologistas que inventam, omitem e distorcem informações para que a mulher não pare com o ac.

Vamos pensar: já é difícil ir contra o seu parceiro, simplesmente por não querer causar uma briga e por ter sido criada em uma sociedade que te ensina que você deve sempre agradar o homem – que se ele não gosta de camisinha, acha que é “chupar bala com papel”, tá tudo ok, você que tome anticoncepcional. Agora imagine ir contra um médico, que estudou por anos e trabalha para te dar informações sobre aquele determinado assunto?

Teoricamente, um ginecologista é a pessoa mais confiável pra te dar informações e te orientar quanto a métodos contraceptivos. Porém, por N motivos que vão de religião à convênio com clínicas de anticoncepcional, isso não é o que acontece na prática. Mulheres relatam, todos os dias, coisas como:
-“O ginecologista me disse que não posso parar o AC porque nenhuma mulher tem vida normal sem anticoncepcional e nenhum homem aguenta mulher sem anticoncepcional” (Oi? Como é que as mulheres viviam antes dele e muitas ainda vivem? Ah tá, são as loucas né? Mulher é descontrolada e precisa de doses diárias de hormônios pra continuar bela, recatada e do lar, né?).
“O ginecologista, em minha primeira ida, sem me examinar ou pedir exames, disse que não posso ficar sem anticoncepcional porque tenho ovários policísticos- fiz exames depois com outro gineco e não tenho.”  1- ele agora prevê ovários policísticos? A visão dele vem com ultrassonografia? 2- Ovários policísticos podem ser tratados sem ac. O ac só mascara eles, e por isso é aconselhado procurar um endocrinologista ao descobrir que tem.
“O ginecologista me disse que o que dizem sobre as possíveis consequências dos anticoncepcionais  é mito, coisa de quem não estudou.” –Aqui ele tá omitindo uma informação importantíssima e que está presente até mesmo na BULA dos anticoncepcionais. Não vou nem falar sobre as mil pesquisas, casos e tudo o mais… Tá até na bula.
“A gineco me disse que diafragma NÃO EXISTE MAIS.”  então o que milhares de ginecologistas que são contra o anticoncepcional recomendam, medem e etc é o quê? E milhares de mulheres do grupo usam e aprovam também. Como é mesmo? Não existem?
– “O médico me disse que não podia colocar DIU porque meu útero é pequeno. Fui em outra e estou com meu DIU em um tamanho menor há 1 mês”/”A gineco não quis colocar o DIU porque ela não acha eficiente”/“O ginecologista me disse que o DIU pode causar infertilidade e por isso não DEIXA suas pacientes colocarem” – Novamente, médicos mal informados ou mal intencionados… acho que não preciso nem falar nada, né? Tem vários tamanhos de DIU, a eficácia dele é de 99,4% e ele não causa infertilidade se usado corretamente. São dados científicos.

E o que todos esses relatos nos mostram? Médicos interferindo ou tirando o poder de escolha de suas pacientes. O corpo é da mulher e o médico deveria apresentar a ela todas as alternativas disponíveis e orientá-la… Não definir por ela e distorcer, omitir e criar informações para convencê-la do que ele quer.

Quando a gente lê ou ouve o tão falado “Meu corpo, minhas regras” a gente sempre pensa nos caras escrotos que nos assediam na rua por usar roupas curtas. A gente pensa nos milhões de casos de estupro. Pensa no marido que bate na mulher ou a agride sexualmente. A gente não pensa no cara que não quer que ela pare com o anticoncepcional porque ele não quer usar camisinha. E, além disso, a gente nunca pensa no medico/na médica que manipula informações pra te fazer acreditar no que ele quer. Mas temos que começar a pensar.

Mulher: se o corpo é seu, não é seu marido, seu médico, sua mãe nem ninguém que vai resolver por você. Se as consequências serão no seu corpo, a decisão é sua. Não aceite que tirem o seu poder sobre ele. Você tem direito de decidir pelo que considera mais seguro, mais confortável pra você – e, pra isso, pesquise muito. Estude. Pense. Não acredite em tudo que dizem… A Internet é uma ferramenta maravilhosa pra nos ajudar a nos libertar, vamos usá-la.

2 Comentários
10 10 2016

8 on 8 – Feminino

Feminino. Sagrado.

No 8 on 8 desse mês, o tema foi sugerido por mim. Assim, de mansinho, sem achar que iam gostar muito da ideia e lá no fundinho torcendo muito pra que todos amassem. Fiquei absurdamente feliz quando todas toparam. FEMININO era nosso tema de outubro. Apesar da alegria, não tinha ideia do que fotografar. É um tema lindo, mas complexo. É absurdamente fácil cair em fotos e temas clichês, definições batidas e até mesmo machistas. É absurdamente fácil reforçar padrões e ideias desse feminino frágil, indefeso e cor de rosa que a sociedade tanto martela em nossas cabeças.

Escolhi então seguir por um caminho diferente. Minha leitura do mês é “A dança cósmica das feiticeiras”, e ler este livro tem me feito absurdamente bem. Pensei em todos os grupos de sagrado feminino que participo no facebook e em tudo que associo à palavra feminino. Pensei em minha mãe e minha tia, que sempre foram as minhas referências de feminino. Por fim, aqui está um post alguns dias atrasado e um tantinho subjetivo. Aliás, existe algo mais subjetivo que o feminino?

8 on 8: feminino
Eu
Eu
Delicadeza
Força
Luz e sombra
Lua. Pedras.
Ciclo lunar
Velas, incensos e pedras.

  1.  1. 2. Eu. A mulher que existe por trás da câmera.
  2. 3. Delicadeza
  3. 4. Força
  4. 5. Luz e sombra, que fazem parte de todas(os) nós.
  5. 6. Meus colares, símbolos e pedras. A pedra da lua na pulseira e colar de pedra. A lua. A flor de lis – símbolo do sagrado feminino. Os anéis.
  6. 7. Falar de feminino e não falar de lua não funciona pra mim. Ela já estava ali em cima, mas quis reforçar sobre seu ciclo que é igual o nosso. Acabei resolvendo pintar (há quantos anos não pegava em um pincel??) e amei o resultado.
  7. 8. Velas, incensos, pedras, ervas. Tudo isso vem a minha mente quando falo em feminino. Todos os chás, as rezas, benzeções…

“O feminino que acolhe, abraça, aconchega.
O feminino que reza, que acende vela, que faz mandinga, que cura.
O feminino que dança.
O feminino que cria.
O feminino que resgata sua ancestralidade.
O feminino conectado a si e ao mundo.
O feminino que conhece e aceita suas sombras.
O feminino que luta, que grita, que não se cala.”
Laura Nolasco

Bom pessoal, essas foram as fotos do meu 8 on 8 ❤ Não esqueçam de me comentar o que acharam, qua foi sua preferida, no que você pensa ao falar em feminino.. Conta tudo pra mim aqui embaixo! Aproveita e compartilha o post com as amigas! E claro, visitem as outras meninas para mais fotos com esse tema!

Carol Pedrozo || Carol Machado || Day || Dani || Lari || Mari || Vanessa

 

 

17 Comentários
03 10 2016

A vida como ela é

eu

A vida tá meio torta e ainda não consegui me adaptar totalmente a tanta coisa nova por aqui. A sensação é e que Setembro durou 5 anos e meio durante os quais fiquei amarrada em uma maca sem conseguir fazer nada, sem ter controle de nada. Simplesmente passou em câmera lenta rindo e mostrando língua pra mim, como se risse da minha incapacidade de me mover.

Setembro acabou, e com todo fim vem um recomeço, uma nova força – que assim seja com outubro. Reúno minhas forças e acendo minhas velas e minhas rezas pra que o novo venha e pra que eu não tenha tanto medo dele – sim, recentemente me surpreendi com o medo do novo, que eu sempre admirei tanto.

De alguma forma, me surpreendi também com minha conexão comigo mesma e com tudo o que acredito. Talvez eu tenha estado descrente de tudo por tempo demais, enxergando tudo tão desconexo e distante que não sabia o que fazer… me sentia impotente. As vezes a gente precisa de um óculos pra ver com clareza – meus poucos graus e miopia que o digam! – e dessa vez, as páginas de um livro coloriram o mundo de volta. Ainda não consegui terminá-lo. Pra ser honesta, setembro me atropelou de tal forma que não conseguir ler nem mesmo uma página. Mas já tenho em mente algo pra falar sobre ele nesse meu cantinho assim que conseguir chegar ao fim.

Aliás, tenho sentido a algum tempo uma necessidade de falar sobre coisas diferentes por aqui. Não que o blog vá mudar, mas talvez alguns assuntos novos cheguem sim – assim que eu encontrar palavras pra falar sobre eles. É tudo tão delicado e a pessoa que vos fala, ansiosa como é, morre de medo de errar. Então peço paciência, com o tempo as coisas vão se ajeitando.

Por enquanto, fico por aqui e tento prometer que não demorarei pra voltar!

7 Comentários
22 09 2016

5 feeds incríveis para seguir no instagram

5-feeds-inspiradores-no-instagram

Escrevo esse post em uma tarde fresquinha e nublada que trouxe um alívio depois de alguns dias quentes demais. Neste momento, estou rindo do vento que traz folhas pra dentro de casa: eu definitivamente amo ter uma árvore na janela da sala. Mas não é sobre essa pequena e doce alegria que vim falar hoje.

Acho que todo mundo que ama fotografia é apaixonado pelo Instagram também, não é? Eu, particularmente, acho a coisa mais deliciosa do mundo abrir o aplicativo e ter meu feed recheado de fotos maravilhosas pra me inspirar. Mais gostoso ainda é descobrir feeds diferentes, novos, de gente que a gente se identifica. Pensando nisso, separei 5 feeds que descobri há alguns meses atrás e me apaixonei logo de cara… Acho que posso dizer que estão na lista dos meus favoritos! Dessa vez, não de propósito, todos os feeds são gringos, e na descrição de cada uma conto de onde elas são pra vocês, ok? Pra ir direto pra cada feed, é só clicar nas fotos ou no @ de cada um ❤

5 feeds inspiradores para seguir no instagram

fiorere - feeds inspiradores no instagram

@fiorere é o feed da Johanna, uma ilustradora Holandesa que agora está vivendo em Berlim. Pelo que li no seu blog ela cresceu na Alemanha e tem 18 anos, mas não sei se a idade está atualizada. Seu instagram e seu blog deixam claro que ela ama a natureza, e isso me encanta muito. As fotos tem sempre um toque verde e marrom, e percebo a variação nas fotos de acordo com as estações do ano, morro de amores por isso. Suas ilustrações, as vezes retratadas nas fotos, também seguem uma temática de natureza e são lindas. É impossível visitar seu instagram ou blog e não sair apaixonada pela delicadeza e poesia da Johanna.

Daughter of the woods - Feeds inspiradores instagram

@daughter_of_the_woods é o feed da Michelle, uma moça que atualmente mora na Finlândia. De acordo com o seu perfil, ela é uma “mente criativa, exploradora, escritora de letras e amante do Norte”. Seu feed parece ter saído de um conto de fadas, cheio de flores, folhas, árvores, lugares maravilhosos! As cores são mais invernais e outonais, mas amo isso – me dá uma sensação incrível de aconchego. Não consegui descobrir muito mais sobre ela, mas sei que tem um canal no youtube e a edição dos vídeos que vi é tão incrível e aconchegante quanto as fotos dela!

amyflyingakite feeds inspiradores instagram

@amyflyingakite – custei a entender a @ dela, mas depois que entrei no blog entendi: Amy flying a kite, ou, Amy empinando uma pipa. Achei super fofo. Ok, vamos focar: a Amy tem 24 anos, vive no Canadá e tem um blog de poesia e moda. É uma escritora apaixonada, e me identifiquei absurdamente com a página “sobre mim” do blog dela. Ela também é apaixonada por jardinagem e busca beleza no cotidiano. Nas suas fotos, tem sempre muitos elementos naturais. Muitas flores, paisagens lindas, madeira, e um tom que deixa tudo muito acolhedor. Sinto que eu poderia passar horas no seu feed vendo suas fotos, sem nunca enjoar.

teturo_ feeds inspiradores instagram

@teturo_ Teru Menclová é o nome da dona desse feed maravilhoso. Ela é da República Tcheca, mas junto com seu marido ou namorado viaja o mundo fotografando e registram tudo no blog Adventures of Two. Diferente dos outros feeds que indiquei nesse blog, o @teturo_ é mais branquinho, com menos cores, o azul e o cinza chamam mais atenção… e ainda assim é lindo e cheio de elementos naturais também. Paisagens incríveis e flores não faltam no feed, que me passa uma paz e uma vontade de viajar enorme.

dariathelord feeds inspiradores instagram

@dariathelord é o feed da Daria, que, se não me engano, é de Moscow mas está em Praga. Não consegui muitas informações sobre ela, pois seu perfil não diz muito e tudo está escrito em Tcheco (pelo menos é o que o Google tradutor me contou). Apesar de não saber nada sobre ela, sou apaixonada por suas fotos. Tem um ar de nostalgia e uma doçura incríveis, e todas suas fotos tem uma carinha de fotografia analógica, sabe? A natureza também é muito presente em suas fotos e vez ou outra ela posta ilustrações lindas que acho que são dela. As cores “antiguinhas” do feed me fazem morrer de amores!

Esses são os feeds que selecionei dessa vez pra trazer pra vocês! Como puderam perceber, os feeds com fotos que mostram toda a beleza e a delicadeza da natureza são meus preferidos. Se você conhece algum feed assim, cheio de flores, madeira e paisagens incríveis me conta aqui embaixo, vou amar conhecer! E me digam se vocês já conheciam algum dos meus indicados, se gostaram e vão seguir algum, se querem mais posts desse tipo… Lembrando que já indiquei aqui alguns feeds femininos também! Não se esqueçam de me seguir no instagram (sou @lrrnolasco por lá!) e me contar qual seu feed preferido!

31 Comentários
20 09 2016

{Receita} Petit Gateau de chocolate

Petit gateau fácil de chocolate com canela!

As coisas não foram fáceis desde o último post, mas definitivamente não quero falar sobre isso. Hoje venho trazer uma receita deliciosa que já devia ter vindo pro blog há algum tempo, mas como vocês sabem os dias foram corridos no último mês. Para terem uma ideia, já tenho mais 2 receitas fotografadas e prontas pra postar… A cozinha não parou por aqui, mas os posts… Hahah!

Dia 21 de agosto foi aniversário da minha mãe. Estávamos na correria da mudança e ela não queria nem botar a cara pra fora de casa, mas eu e João fizemos um jantar pra ela… Ele fez uma carne com cerveja deliciosa, e eu fiz um petit gateau de sobremesa… Ficaram deliciosos e foi ótimo o jantar! Minha tia veio também dar um abraço nela e comemorar com a gente ❤ Vamos à essa receita deliciosa, super rápida e fácil de fazer, e com gostinho de canela?

Ingredientes

 Petit gateau  fácil de chocolate com canela

Ingredientes 

  • 300g de chocolate meio amargo
  • 250g de manteiga sem sal
  • 80g de açúcar
  • Canela à gosto
  • 5 gemas e 5 claras
  • 100g de farinha de trigo
  • 1 pote de sorvete de creme

 

Modo de fazer

Massa - parte 1

Pra começar, derreta o chocolate em banho-maria. Enquanto espera esfriar, misture as gemas e o açúcar, batendo bem até ficar bem claro. Junte a manteiga e misture até ficar homogêneo. Um comentário aleatório: percebam a diferença da cor da gema do ovo caipira (a gema mais laranja- na foto, é o ovo laranja também) pros outros!

Quando o chocolate já estiver frio adicione-o à mistura – É bem importante ele não estar quente pra não cozinhar as gemas – e misture bem! Depois, junte também a farinha de trigo peneirada e misture devagar até ficar homogêneo. Por último, é só bater as claras em ponto de neve e incorporar à mistura bem devagar e com bastante cuidado. Aqui, coloquei mais ou menos 2 colheres de chá de canela, porque gosto muito de canela… Coloque a quantidade que quiser!

Massa - Parte 2

Agora, é só encher as forminhas! – aqui preciso fazer uma declaração de amor às minhas novas forminhas de silicone. Que coisa maravilhosa! Tinha uma certa resistência por pensar em colocar silicone no forno, mas agora quero todas as formas da minha casa assim. é TÃO mais fácil de desenformar! E essas pequenininhas pelo menos foram bem baratinhas (menos de 10,00 o kit com 6!!). Recomendo demais se você, como eu, gosta de fazer receitinhas assim!

Encha mais ou menos 3/4 da forminha e leve à geladeira por meia hora. Por fim, leve ao forno a 220ºc, por 7 a 15 minutos… minha dica é: deixe 7 minutos e, se ainda não tiver assado, deixe mais 2 minutos e vá conferindo assim, de pouco em pouco tempo. O ideal é assar por fora e ficar derretido por dentro! É importante lembrar também que, ao sair do forno, pelo próprio calor o petit gateau continua assando, então não dá pra fazer e deixar pra comer depois, ok? A receita rende mais ou menos 10 porções, variando de acordo com o tamanho das forminhas… Como iria fazer menos, fiz só meia receita usando 3 claras e gemas… renderam  porções e sobrou um pouquinhozinho!

Forminhas de silicone!Depois, é só servir com o sorvete e aproveitar essa delícia ❤ Fica ótimo, já fizemos várias vezes por aqui! A foto não foi das melhores, já estava escuro e nem pensei em fotografar com ele partido (dãããr Laura!!) mas acho que dá pra ter uma ideia de como fica ❤ E, como viram, é super fácil de fazer né?

Alguém aí já fez petit gateau? E quem também ama? Me contem o que acharam da receita e, se alguém fizer, por favor me conte, vou adorar saber e ver fotos! E outra coisa: alguém aí tem dicas pra fotografar receitas? Tenho tentado formas diferentes, mas sempre acho muito difícil! Hahahah… me contem o que estão achando das fotos e no que preciso melhorar!
Petit Gateau

 

29 Comentários
12 09 2016

Home is where the heart is

pôr-do-Sol da nova casa - Home is where the heart is

Eu gostaria de ter uma foto e um jeito melhor de começar esse post. Ontem a tarde eu e João brincando com a câmera tiramos varias fotos legais, eu iria editá-las hoje para colocar nesse post, mas Amelie está bem dodóizinha e passei boa parte do dia cuidando dela ou com ela na veterinária… Não tem estrutura pra editar foto ou escrever algo mais alto astral, me desculpem. De qualquer forma, queria escrever, e se puderem me mandar um pouquinho de carinho e energia positiva pra Amelie, ficarei grata. Apesar desse começo meio depressivo, esse post é uma novidade bastante feliz para mim.

Semana passada eu falei da correria, mas não queria falar muito sobre até que tudo estivesse resolvido… Agora, enfim, posso deixar o mistério de lado. Em abril desse ano, minha mãe soltou um “vamos mudar de casa?” e eu, de alma cigana que sou, achei a melhor coisa do mundo. Nunca me senti muito em casa em lugar nenhum, e mudar de ares – que seja no mesmo bairro – seria ótimo. Morávamos na mesma casa desde que eu tinha 2 anos de idade. E então, colocamos o apartamento a venda em maio. No principio de junho, vendemos! Ficamos super felizes, e começou a correria para comprar outro…Foram alguns fins de semana acordando cedo e olhando apartamentos até cansar, mas não demorou muito pra que isso acontecesse também. Enfim, antes do meu aniversário no dia 25/06 já estava tudo certo, dependendo de todas aquelas documentações e burocracias das quais não entendo nada. E aí teve problema com correio, teve assinatura no lugar errado, teve um tanto de coisinha que deixou o processo bastante longo e um tanto angustiante.

Faz menos de duas semanas que tudo se resolveu. Na quinta-feira descobrimos que já poderíamos nos mudar na sexta da semana seguinte. Foi um corre daqui, aperta dali, passa na Leroy Merlin, pinta banheiro, embala tudo e enfim… Mudamos! Agora já tá tudo mais ou menos arrumadinho, mesmo que de forma provisória, a casa nova já tá funcional. A foto do início do post é o pôr-do-Sol visto da janela do meu quarto, e a cada dia me apaixono mais por essa vista… sem contar nas árvores que tem na janela da sala!! E o espaço enorme do meu quarto? Sei nem o que dizer!

Na quinta feira antes da mudança, eu, João e Amelie viemos dormir aqui – num colchão de ar mesmo, pra facilitar as coisas com a Amelie no dia da mudança. Bateu uma angustiazinha de “dar tchau” pra casa que morei por tantos anos, e nã consegui segurar as lágrimas… Num abraço, o João me disse: “Não esquece que lá tá só a estrutura. Tudo que cê viveu lá, as lembranças, tão tudo aqui” – com a mão na minha cabeça e no meu coração. Era tudo o que eu precisava ouvir pra me sentir bem… Mais tarde, quando ele foi tomar banho, escrevi um texto que deixarei aqui no fim do post, que expressou muito do que senti. Há muito não escrevo um texto tão grande pro blog, e há muito não consigo ser tão sentimental assim nas palavras… Acho que essa mudança e a história da Amelie realmente mexeram comigo. De qualquer forma, que venham muitas alegrias na nova casa. Muitas fotos do pôr-do-Sol. Muitas novas decorações. Muito aconchego, amigos e carinho. Que essa nova fase me motive ainda mais aqui no blog.

“Não é fácil despedir de uma casa na qual você viveu todas as partes que você se lembra da sua vida. As primeiras amigas estão lá, as festas do pijama, as primeiras receitas, os primeiros amassos. Tudo o que eu conheço como lar está lá. Das melhores partes à falação das vizinhas me acordando cedo. Tanto amor e tanto ódio, tanto medo, tantas emoções, tanto carinho… Tudo, ta lá. Dentro daquele punhado de paredes coloridas e portas menores que o normal. É difícil sair. Pensar que o que conheço como rotina: os pontos de ônibus, a senhora que tá sempre sentada na calçada, a sorveteria da esquina e a lanchonete do outro lado da rua, tudo tá lá, ficou pra trás. Depois de anos pra me acostumar, me assustando com os barulhos e tendo medo de apagar a luz da sala e correr pro quarto. Agora é tudo novo, e a sala fica mais longe do quarto. Mas tem o corredor no caminho. E tem espaço e animo pra decorar tudo do meu jeitinho. E tem amor, tem carinho, tem a Amelie aqui em cima de mim, ronronando. Tem todas as coisas maravilhosas que essa nova casa vai trazer. Tem toda a individualidade, a privacidade e o silêncio. Tem um pôr do Sol maravilhoso que eu posso ver da Janela do meu quarto. Até o chuveiro aqui tem pressão! E tem uma vizinhança que já se mostrou super acolhedora. Tem luz natural. E tem um esforço enorme pra deixar a energia de tudo aqui bem gostosa e acolhedora. Tem uma nova história pra ser construída aqui. Novas amizades, novas festas do pijama, novos amassos. Tem muitas risadas e muitos choros que ainda vão ser vividos dentro dessa nova casa. “Home is where the heart is”. Lá está um amontoado de paredes, aqui está o lugar que construiremos o próximo capítulo da nossa história. Aqui estão todos os pedacinhos de mim que eu mais amo: das lágrimas aos sorrisos. E as melhores companhias do mundo.

9 Comentários
08 09 2016

8 on 8: Porque a vida é feita de detalhes…

8 on 8 - Detalhes! Kalanchoe

Esse mês o 8 on 8 tem uma nova participante: a Mari Menezes, do blog Letras na Gaveta, que é uma linda e fofa e entrou no lugar da Dani Pereira que saiu porque precisou dar um tempo do blog. Começo então dando as boas vindas pra Mari ❤. Com a mudança de membros e as correrias por aqui (Já comentei no último post) acabei me desorganizando e só no início desse mês decidimos o tema. Claro, ficou corrido. Muito corrido… Mas por sorte escolhemos “Detalhes” e no fim de semana eu tinha brincado com meus filtros Close Up lá no sítio e tinha algumas fotos bem legais pra esse post!

Eu amo fotografar detalhes. Quando ganhei minha câmera a primeira coisa que comprei foram os filtros Close Up pra brincar de fotografar as coisas de pertinho… Acho incrível! E acho que vocês já perceberam que o que mais gosto de fotografar são flores, né? Então, preparem-se pra mais uma vez ter um post bem florido. A azaleia que tem na frente da casa do João está muito apaixonante, não sei parar de fotografá-la. Desculpem-me por estar tão monotemática hahah

Detalhes – 8 on 8
Vela

Luz

Leaf

Calanchoe

Azaléia - Longe

Azaléia - perto

Azaléia - Mais perto

Azaléia - bem mais perto

  1. 1. Comprei um porta-vela pra decorar meu quarto… E, pra estrear, uma vela de canela (Acho que já deu pra perceber que amo canela, né?). Adorei essa foto, mostrando o fogo de pertinho.
  2. 2. Por acaso, brincando com a câmera, fotografei a luminária do João e amei o resultado… a lâmpada assim de pertinho, o formato, a escuridão e a luz…
  3. 3. Ainda estou em duvida quanto a essa foto, o foco está meio ruim, ela  está meio tremida… Mas amei ver os detalhes do galho e a textura aveludada da folha assim de pertinho e a silhueta dos outros galhos e folhas atrás.
  4. 4. Um Kalanchoe que João me deu de presente ❤ Acho a coisa mais lindinha do mundo essas florezinhas tão pequenas e fofas e delicadas ❤
  5. 5, 6, 7 e 8. A azaleia já tão fotografada e mostrada aqui no blog… Tem como não se apaixonar por essa flor? Quanto mais perto, mais detalhes vemos e mais apaixonante ela se torna.

Bom, e pra quem interessar possa: As fotos da azaleia foram feitas usando os filtros Close Up, +1, +2, +4 e +10 (e todas as fotos com a lente 18-55mm, a lente do kit – como todas as  fotos do blog – é a única que tenho), nessa ordem… Acho um “equipamento” divertidíssimo e baratinho pra quem gosta de fotografar coisas assim de pertinho. Comprei os meus no Mercado Livre, não tenho mais o link do vendedor mas tem vários que vendem!

Espero que tenham gostado, não se esqueçam de me contar qual foi sua foto preferida e conferir o projeto das outras meninas!

Carol Pedrozo || Carol Machado || Day || Dani || Lari || Mari || Vanessa

7 Comentários
05 09 2016

Meu Ângulo: Na minha mão

Na minha mão - Meu Ângulo PhotoProject

Eu começo esse post pedindo desculpas duas vezes: primeiro por ter atrasado o projeto, que deveria ter sido postado até o fim de agosto. Segundo por ter explorado o tema muito menos que gostaria e talvez esse post fique muito curto e meio sem graça, mas não queria deixar passar. Tirei algumas fotos lá no sítio no fim de semana passado e iria tirar mais umas nesse, mas algumas coisas andaram mais rápido que o esperado e no fim das contas acabei passando o fim de semana bastante ocupada – Semana que vem, quando já estiver tudo certo, conto pra vocês direitinho ok?

Estou aqui tentando entender onde foi parar a primeira foto que tirei pra esse projeto: o duende que bagunça as pastas do meu computador com certeza sumiu com ela. Era uma florzinha murcha, mas muito especial… E na correria, não consegui fotografá-la novamente. Espero que, apesar da pequena quantidade de fotos desse post, vocês gostem! Acho que consegui transmitir toda a delicadeza e sutileza que queria, então me contem o que acharam!

Além da foto do início do post, tenho só essas 3, mas prometo que foram pensadas e fotografadas com muito carinho por mim e pelo João. Flores e ervas… Não sei explicar o motivo, mas achei que essas fotos dizem muito sobre mim. Conheço o alecrim como “erva da alegria”, e as fotos foram tiradas enquanto colhíamos temperos para o almoço de um dia bastante alegre.

Flor

Alecrim

Alecrim

13923362_1769084353369173_3957415029077983972_o

10 Comentários
31 08 2016

BLOG DAY e todo o amor que o blog me trouxe

BLOG DAY - E Todo o amor que o blog me trouxeHoje, como muitos sabem, é comemorado o Blog Day: um dia em que a blogesfera se une pra compartilhar a falar sobre seu amor pela… blogesfera! Hahahaha… Antigamente (ó a idosa falando) o costume era indicar seus blogs preferidos pros seus leitores, mas já fiz um post nesse estilo há pouco tempo e nunca tinha comemorado a data aqui no blog (Só na page e no insta) então não iria fazer nada… Mas a incentivo do bloginspira (Repito: o grupo mais amor desse mundinho todo!) aqui estou eu aproveitando meus quase 6 anos de blog pra dar uma de tiazona e contar pra vocês o que o blog já trouxe de bom pra essa minha vidinha!

BLOG DAY: Todo o amor que o blog me trouxe

-Aprendi a não ter vergonha do que escrevo!
No começo era assim: Só escrevia quando tava sozinha em casa, postava, fechava o blog e apagava do histórico pra ninguém desconfiar ou encontrar aquilo. Eu assinava como “LR” (De Laura Rosa… Sim, é mais um dos meus sobrenomes! Hahah) pra não ter chance mesmo de alguém encontrar e reconhecer. Com o tempo, passei a divulgar o blog e, aos pouquinhos, descobri que as pessoas gostavam de saber que eu tenho um blog, que eu escrevo… E comecei a divulgar ainda mais, coloquei fotos minhas, meu nome com todas as letras… Hoje, é difícil dizer alguém que me conheça e não saiba que tenho um blog. Claro, ainda tem muito caminho pela frente: Ainda fico vermelhinha de vergonha se alguém elogia meu blog pessoalmente, me diz que leu e gostou, me reconhece pelo blog ou qualquer coisa! Mas até isso tá ficando mais fácil… Quem sabe um dia não vai ser algo totalmente normal pra mim? Hahahah

-Aprendi a aceitar minhas mudanças!
São 5 anos e meio de blog… No começo, tinha 12 anos. Hoje, tenho 18. Quanta coisa mudou nesse tempo? No começo, o blog falava muito sobre livros. Eu lia 2 livros por mês com a maior facilidade do mundo, então não era nada difícil falar sobre livros 2 vezes por mês no mínimo… Esse foi, por muito tempo, o assunto principal por aqui. Quando entrei no CEFET, meu ritmo de leitura caiu, e caiu, e caiu. O cansaço chegou a um nível que, se lesse 2 livros no ano eu ficaria feliz. Tentei me forçar a ler mais pra não abandonar o assunto por aqui… E acabei numa ressaca literária que deixa resquícios até hoje. Com o tempo, percebi que não tinha importância mudar de assunto principal por aqui: hoje, muita gente diz que o blog é sobre fotografia. Muita gente diz que é sobre viagens. Eu? Digo que é um blog pessoal. Não sou eu que tenho que me adaptar ao assunto dele… Ele se adapta, naturalmente, à minha vida, minhas paixões, meu momento.

-Aprendi a aceitar e entender melhor meus erros.
Eu li um post sobre isso esses dias e percebi o quanto o blog me testa todos os dias com isso, mas também me ajuda muito: pessoas comentam posts antigos ou o “neste dia” do facebook esfrega eles na minha cara todos os dias. Eu já passei muito pela onda de querer apagar tudo que tem mais de 1 ano no blog e esquecer que tudo aquilo existiu. É um tanto de foto de tamanhos diferentes, um tanto de expressões esquisitas que eu usava, um tanto de texto colorido, fotos clichês retiradas do we❤it.  E aí eu comecei a pensar sobre o quão errado é isso: o legal de ter um blog tão minha cara é poder recordar momentos da minha vida. É poder perceber o quanto evoluí. É ver, através dos posts, as mudanças que aconteceram na minha vida – por dentro e por fora. E percebi, por fim, que encontrar erros e problemas quer dizer que eu evoluí. Estou dando o melhor de mim agora, neste momento. Pra mim, os meus últimos posts foram todos incríveis. Mas não tenho dúvidas – e quero muito!- esbarrar com estes posts todos daqui há uns anos e perceber que podia ter iluminado melhor aquela foto e usado menos vírgulas no texto Z. Quer dizer que o meu melhor hoje é melhor que o meu melhor era há 2 anos atrás, ou até mesmo que 3 meses atrás. Percebem o quão incrível isso é?

-Me fez explorar novas coisas
Se não fosse pelo blog, talvez eu não soubesse nem metade do que sei de edição de fotos, mesmo depois de ter feito um curso sobre isso. Se não fosse o blog, eu nunca na minha vida teria editado um vídeo. Nunca aprenderia o que é SEO. Nunca teria tentado fazer um look do dia – e descoberto que eu gosto bastante disso. Graças ao blog explorei fotografar novas coisas, fazer novas receitas, me arrisquei um pouquinho que seja no mundo das maquiagens. Ter um blog pra mim é, frequentemente, me desafiar a fazer coisas novas. Tentar coisas diferentes. Descobrir novas paixões. Foi engraçado pensar nisso enquanto fazia esse post pro blog day e perceber que realmente, muita coisa que amo hoje eu só descobri por causa do blog!

BLOG DAY: E todo o amor que o blog me trouxe

-Conheci pessoas incríveis
Deixei esse por último por ser o mais especial pra mim, e vou até colocar aqui pra ilustrar uma foto com a Wanila e o Lorram que há mais ou menos um mês atrás vieram aqui em casa me conhecer ❤. Foi uma noite deliciosa, com um hambúrguer delícia que eles fizeram e a cerveja do João que eles vieram experimentar também! Além dos dois, já conheci pessoalmente também a Luanna e a Morgânia e em todos os casos foi muito especial ver ali na minha frente pessoas que antes eram só nomes e fotos atrás das telinhas – e, em todos os casos também, pessoas que eu já considerava infinitamente. Fazer amigos é, sem dúvidas, a parte mais legal de ter um blog. Conhecê-los na vida real é ainda mais legal. Claro, a cada pessoa que risco da minha listinha de “Para conhecer pessoalmente” eu acrescento muitas, né? Agora, diria que estão inclusas aqui a Karina, a Helena, a Thaís, a Lory, a Clara e a Taís… E muitas outras, sem sombra de dúvidas! (Olha eu fazendo quase que a listinha dos meus blogs preferidos pra honrar a história do blog day por aqui…)

P.s.: Se você está ou não nessa listinha e é de BH ou vier dar um passeio por aqui, me conta! quem sabe a gente não sai pra tomar um sorvete e tirar umas fotinhas por aí?

Bom pessoal, isso é só um pouquinho de tudo de lindo que o blog já me ensinou e trouxe pra minha vidinha! Hahahah… Daria pra conversar sobre isso por horas, mas acho que os itens que citei exemplificam muito bem! E você, tem blog há quanto tempo? Concorda com alguma das coisas que eu disse? E fez algum post especial pro blog day também? Me conta!

21 Comentários